Trabalho!

EDELRID_ALPINE_Christian_Pfanzelt_09

Semana passada não teve post. Estive ocupadíssimo atualizando a apresentação do Curso que ministramos no CUME e em seguida preparando uma nota gigante que fez eu dormir uma média de 4 horas por noite alguns dias semana passada. Mas tudo bem, trabalho é bom, ocupa a cabeça e faz a gente focar nossa atenção e energia em coisas úteis. Essa semana é pra finalmente chegar a importação da EDELRID aqui na Quero Escalar e aí sim todo mundo vai poder comprar sua corda, sua cadeirinha e muitos outros equipamentos de primeira diretamente do importador, sem intermediários, por preços justos. Essa sempre foi a idéia principal da Quero Escalar, fazer algo diferente, inovar pra crescer e é nesse caminho que queremos continuar batalhando.

Enquanto isso, não muito longe dali… (pausa porquê um sabiá muito simpático ta entrando direto aqui no escritório no quarto em casa na sede da Quero Escalar e fica cantando em cima do suporte da cortina. Outro dia dormi com a janela aberta e ele foi me acordar hehe

Enfim, semana passada e retrasada acumulei milhares de vídeos, vou desovar aqui alguns dos mais sensacionais. Hoje não vou postar as fotos da Marina na Visual nem seu relato, tampouco o texto do Cleber sobre corrida. Fica pra próxima. Esta voltando a idéia de traduzir aquele texto sobre capacetes. Enquanto isso: USE O SEU PORRA!

(Vai direto para o último vídeo se quiser um não-de-escalada mas com mensagem massa no final). E por onde começo? Ah, sim… que tal o Atleta Edelrid Killian Fischubber escalando na índia? Muuito massa o vídeo, o cara escala com uma fluidez daquelas que faz ônzimo parecer quinto grau (sem os gritinhos e chiliques adamondrianos).

E Falando em Edelrid, um comercial nada a ver, da JEEP, com um outro atleta patrocinado EDELRID com as costuras, todos os equipos verdinhos apostando pra ver quem chega primeiro no cume da montanha. Parece que ele escalou sozinho e não tinha seg nenhuma hehe mas é interessante. Se fosse por aqui a competição seria pra ver quem chega primeiro no chão, com o cara rapelando de freio 8 com uma cadeirinha da….. deixa pra lá! hehehe

Eu juro que não estou puxando a sardinha da Edelrid, masss… mais um hahaha dessa vez a N vezes campeã mundial de escalada Angela Eiter fazendo Boulder na África do sul. Provando pra vc´s o motivo de ter salvo o vídeo: O nome do Boulder é “in the middle of the Ass”. Estou perdoado?! hahaha Chek it out:

E como hoje estamos sem preconceitos com boulder, vai um muito legal de uma promessa do esporte, uma italiana de 14 anos com o pai mandando uns boulder sinistros.

Pra compensar a bouldericidade, uma via esportiva móvel no Rio, com o Flavio Daflon. Favor providenciar mais vídeos desses, grato! =)

Continuando no cenário nacional, um pequeno vídeo sobre a falésia que esvaziou o visual das águas de paulistanos, já que agora todos vão pro Paraíso! rsrs

E esse é pra vc que é um cagão que nunca cagou fora de casa e não sabe que sua merda polui, não sabe segurar esse cu e sai cagando em qualquer lugar por aí. Não faça no Pé de via de escalada pública o que você faz na privada! E trata de quando achar um lugar escondido, cavar um buraco de acordo pra encher (dependendo do caso preciso de um buraco de um metro e meio pra não transbordar) e OU enterra o papel bem enterradinho, ou leva embora. Para as meninas, não tem xororô, mijou, leva o papel junto, guarda na mochila. Não sou eu quem está dizendo, mas a associação de escaladores do Cipó. #tamojunto #bandodecagão!

E voltando ao cenário internacional, uma competição de verdade que a Adidas organizou num esquema mó dinâmico e empolgante para o público tanto leigo quanto escalador. (Alô RedBull, #FikDik)

E Aqui um dos picos mais legais da Espanha, na cidade de CUENCA. Daqueles que é mais fácil vc mandar um sétimo grau que um quinto, pq ali é tudo via dura pra caralho, OLD SCHOOL mesmo. Aliás, no Festival de escalada em Kalymnos que rolou no começo do mês, as lendas da escalada ao ser perguntadas como ainda mantém sua performance tão alta, responderam: “Because of the sof grades of the modern routes”. (Por causa dos graus moles das vias modernas – como se um 10b de hoje fosse um 10a de antigamente). Exemplo, em RED RIVER GORGE nos EUA o Adam Ondra decotou todos os 9a Francês pra 8c+ (de 11c pra 11b) que mandou a vista enquanto foi pra CUENCA e não mandou nenhum 9a a vista e capaz de ter precisado de mais de um pega pra mandar 8c+.

E pra finalizar, um video de um cara que eu não gostava mas agora eu adoro! O Edu Marin ensinando a como usar o Grigri. No curso no fds teve gente que me perguntou: “Mas sério que tem gente que não segura a mão na corda ou põe a mão na alavanca? R: É o que mais tem.. é só o que vc vai ver por aí. Show de horrores.” Vc sabe dar seg?

E pra finalizar, mais um do Edu Marin, com a Miss rosa Sasha Digiulian. Depois da treta com a Nina em Orbayu, acho que ela resolveu descer prum pico mais ensolarado e mandou um 11a (ou b?) do Dani Andrada na Sicília. Awesome!

E pra finalizar, um não de escalada! Muito massa, recomendo assistir!

E por hoje é só pessoal! Vamos ver se ainda essa semana posto alguma coisa, mas acho dificil! Tem muito trabalho aqui e muita coisa acumulando, mas ta da hora, enquanto a mente ta ocupada e não para, ta ótimo!

PS – Ah, e to fazendo um treino animal na cda, mandei um 8a que eu nunca tinha entrado, no segundo pega em itaqueri semana passada, depois de ter mandado um 7a, um 8a e um 8b equipando! =D Ahh muleke! Em breve falo mais sobre isso… ;P

Ma Oe, já vai?

Shimoto na Manga com leite (e no croqui do cusco nas pags. 82 e 93)

Shimoto na Manga com leite (e no croqui do cusco nas pags. 82 e 93)

Semana passada perdemos um amigo muito querido entre todos. Ficamos chocados, sem palavras, sem saber o que pensar, surpresos, desconsolados. A comoção foi geral e cada um reagiu de uma maneira diferente, ainda que todos tenham ficado muito tristes. Fui o primeiro a saber, praticamente em real time o ocorrido, e tive que contar aos companheiros, que claro, sabendo da minha natureza, acharam que eu estava zuando. Então, cada um está meio que sem saber o que pensar, o que aconteceu, e o que fazer a respeito. No ritual xamânico do fds emanamos muita luz e energias positivas para iluminar seu caminho e acendemos muitas velas. Eu no domingo resolvi homenageá-lo indo escalar, me divertindo como ele gostava, e tanto eu quanto o Ives ficamos um pouco “intrigados” pois nenhuma das 7 via que fizemos, fizemos da maneira como sempre vínhamos fazendo, tanto os crux, quanto passagens mais simples. Descobrimos sem querer maneiras diferentes de fazer vias que já estamos acostumados, decoradas há anos. E eu pude até mandar um 7c que eu já tinha entrado uma vez mas nunca tinha mandado, e que ele tinha mandado pra aquecer alguns meses atrás e eu falava zuando que era o primeiro oitavo dele, pq é um 7c bem do jeito que ele gostava: Curto, Grosso, 3 chapas e base, com muitos regletinhos ínfimos e moves explosivos (ou seja, um soco no rim do começo ao fim) mas que muit@ escalador@ de sétimo não consegue nem isolar os movimentos. Eu zuava que ele gostava dessa via porque ele não precisava respirar, prendia a respiração e saía apertando tudo e só soltava o ar e respirava quando clipava a parada. Ele teria ficado feliz pelo meu dia de escalada. Eu fiquei feliz. Houve um momento enquanto arrumava minha mochila que eu pensei comigo mesmo: Nossa, estou feliz, que estranho. Ao que o Ives me respondeu: Não há nada de estranho nisso. Nós nascemos felizes e esse é nosso estado natural. Depois de um 2014 tão turbulento já tinha até esquecido como era essa sensação.

Obra de arte do Pintor Michelangelo: Obra só teria sido concluida contanto que os corpos dos homens nus estivessem "se tocando"

Vocês lembram quando eu fiz essa montagem?

Eu acredito que a morte nada mais é que uma passagem, e que ele seguiu seu caminho apenas em outro plano, e que continua inserido na roda do Samsara, na qual as pessoas seguem nascendo e morrendo assim como acordamos e dormimos todos os dias. Segundo Douglas Ferreyra, o Samsara pode ser descrito mais ou menos da seguinte maneira:

De acordo com o budismo e o hinduismo, todas as criaturas vivas estão sujeitas ao “Samsara”, que é o ciclo de nascimento, morte e renascimento sucessivos. esse ciclo é considerado a fonte do sofrimento. É a perpétua repetição do nascimento e morte, desde o passado até o presente e o futuro, através dos seis ilusórios reinos: inferno, dos fantasmas famintos, dos Animais, Asura ou demônios belicosos, ser humano, dos deuses e da bem aventurança. A menos que se adquira a perfeita sabedoria ou seja iluminado, não se poderá escapar desta roda da transmigração, ou roda da Samsara. Aqueles que estão livres desta roda de transmigração são considerados Lamas, iluminados ou budas, em sânscrito. A libertação do Samsara ocorre quando se atinge a Iluminação, o “Nirvana”.

Foto Clássica das RockTrips

Foto Clássica das RockTrips

É interessante como nossa sociedade ocidental tem uma perspectiva totalmente distorcida sobre a morte e sobre política, e sobre valores, consumo, etc… Encontrei um texto bem legal sobre a Visão do Budismo acerca da morte:

“O temor que as pessoas sentem em relação à morte deve-se em grande parte ao que a mídia e a própria cultura ocidental nos transmitem desde pequenos. A idéia de morte que nos é passada geralmente está vinculada à escuridão, à tristeza e a ambientes fantasmagóricos e acabamos por associá-la sempre a imagens negativas, ruins e ao fim de tudo. O Budismo de Nichiren Daishonin é maravilhoso, pois enfoca a morte como um dos aspectos da vida. Não há por que temê-la. O Presidente Ikeda, por exemplo, faz um paralelo entre a morte e o sono. Assim como nosso descanso noturno é necessário para acordamos bem dispostos na manhã seguinte, a morte representa um estado latente durante o qual as energias são recarregadas para o renascimento ou uma nova vida. Segundo o budismo, a vida é eterna. Ela não acaba com a morte.

Nas escrituras de Nichiren Daishonin consta uma passagem que fala que, no momento da morte, mil budas surgirão diante de nós e estenderão suas mãos para conduzir-nos, e o presidente Ikeda diz que esses budas, na realidade, correspondem às pessoas que estão orando nesse momento crucial da nossa vida. É nesse momento que perceberemos quantas pessoas ajudamos a salvar ou a encontrar o caminho da felicidade.
Segundo o budismo, a condição de vida dos familiares e das pessoas próximas que estão vivas é exatamente o estado em que o falecido se encontra. Se a família está angustiada, a condição do falecido se encontra da mesma maneira.
A visão budista da eternidade da vida e do carma é muito mais racional e aceitável do que a idéia de que existe um ser superior controlando o destino de cada um na face da Terra e que todos os acontecimentos são de vontade divina. O que somos e a vida que temos hoje são efeitos de causas cometidas nesta existência e nas anteriores. Se passamos por sofrimentos é porque temos “dívidas” a pagar. Como todos sabem, se temos dívidas, enquanto não as pagamos totalmente, os cobradores continuarão a nos enviar as contas e a nos perseguir. Após passarmos pelo estágio de vida latente, que é a morte, renascemos ou iniciamos uma nova vida a partir daquele ponto em que paramos na existência anterior. Como exemplo é como fumar um cigarro. Não é porque o reacendemos que ele voltará ao tamanho normal. Ele continuará a queimar de onde parou. Então não adianta lamentarmos dizendo que nunca fizemos mal a ninguém, que não merecemos essa vida de sofrimentos.

Shimoto, o garoto modelo QE 2014

Sessão retrô no blog

Embora muitos relutem em aceitar, é assim que a vida é feita. A vida é resultado das ações que praticamos durante todas as existências. O que é fantástico no budismo é que podemos amenizar os efeitos e até mesmo mudar o rumo de nossa vida por meio da recitação do Nam-myoho-rengue-kyo e de nossa dedicação em prol das pessoas e do Kossen-rufu. Podemos direcionar nossa vida para um futuro de felicidade, independente do que possamos ter feito no passado. O que determina o futuro é o que faremos neste exato momento.
O budismo esclarece que o carma é formado por nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações, desta e de outras existências. Tudo o que ocorre em nossa vida são efeitos. Por exemplo, quando deparamos com a doença, a primeira reação que temos é combatê-la, mas ao refletirmos pelo ponto de vista budista, estamos apenas combatendo o efeito, e o efeito não se combate. Pela lógica, procuramos um médico. Contudo, há casos que os médicos não conseguem resolver e que aquele que recita o Nam-myoho-rengue-kyo consegue. Porquê? Porque o Daimoku atinge diretamente a causa. Sim, exatamente. Ele age diretamente na causa. Numa orientação a respeito do Gongyo, o presidente Ikeda diz que quando a família continua uma prática consistente mesmo sofrendo a perda de um ente querido, todos os caracteres do Gongyo proferidos pelos familiares transformam-se em um só e posteriormente em um Buda que se desloca até o domínio onde a pessoa falecida se encontra e transmite a ela que foi enviado pelos familiares, e diz que isso automaticamente possibilita a sua iluminação. Para sermos felizes, precisamos nos desfazer de pensamentos negativistas e errôneos. As insatisfações, as lamentações só atrasam a nossa revolução humana. É por isso que Nichiren  Daishonin afirma que o que mais importa no budismo é o coração. A sinceridade e o espírito de gratidão sem dúvida são essenciais. Temos de criar uma tendência de vida sempre positiva e otimista.

Ê nego véio! É assim que eu sempre vou lembrar dele! Esse dia foi mto engraçado!

Esse é um ponto muito importante, pois o budismo explica que assim como cada um de nós possui os dez estados de vida, o Universo também os tem. Então quando falecemos, nossa vida funde-se exatamente com o estado do Universo referente à condição em que nos encontrávamos no momento da morte. Quem morre no estado de Inferno, funde-se com o estado de Inferno do Universo. Se a pessoa estava no estado de Alegria, funde-se com o estado de Alegria do Universo e assim por diante. É por isso que devemos sempre procurar mudar nossa tendência básica de vida e fazer sempre causas positivas dia a dia para mantermos um estado de vida elevado. O poder do Daimoku é imensurável, capaz de transformar até mesmo a vida de alguém que falece no estado de Inferno. O Daimoku que os familiares oram diariamente em memória dos falecidos contribui para isso. Entendemos que tudo depende da própria pessoa no tocante a como encarar a morte, mas para que possamos ter uma morte tranqüila e renascer logo, é importante que cumpramos em vida a promessa que fizemos de renascer neste mundo e conduzir as pessoas à felicidade, que é a ação do bodhisattva. Uma vida dedicada a esse propósito certamente atingirá a iluminação. É isso que o budismo ensina, que o mestre ensina e é esse o caminho que devemos seguir.”

E pra encerrar, duas frases de um dos meus livros favoritos e que eu nunca consigo terminar de ler, porém que traz ricos conceitos filosóficos para aquele que consegue ler além dos preconceitos causados por dogmas e traumas das religiões ocidentais.

Da mesma forma que a alma adquire um corpo na infância, um corpo na juventude, e um corpo na velhice, durante a sua vida, similarmente, a alma adquire outro corpo após a morte. Isso não deveria iludir um sábio ( 2.13).
( Bhagavad Gita )

Assim como uma pessoa coloca uma nova roupa após desfazer-se das velhas, similarmente, a entidade viva, ou a alma individual, adquire um novo corpo após jogar fora o velho corpo. (2.22)
( Bhagavad Gita )

Krishna explicando a Arjuna os motivos de seguir lutando…

É isso aí Nego Véio! Vai em paz, estamos mandando a vibe aqui pra vc mandar mais essa cadena por aí! Aperta os regrete tudo aí mano, nada de pegar na costura dessa vez kkkkk! E se puder, de vez em quando da uma olhada por aqui se não tem ninguém com a fivela da cadeirinha aberta ou dando seg errado, que a sua era uma das melhores seg´s que eu já tive! E pra quem fica, kamon moçada, todo mundo ficar feliz e emanar energias positivas pra ele poder sentir essa vibe e continuar sua escalada até sair da roda do Samsara!

*No ritual sábado coincidentemente tocou um áudio de um trecho do livro “Um curso em Milagres” que encaixou certinho com a ocasião, se você quiser ouvir, é só baixar aqui que não achei no youtube.

E pra vc Shimoto, apesar de sua breve passagem, “Nós estamos muito felizes por você ter vindo”:

E como foi o Lançamento do Guia do Cusco?

Salão da Biblioteca que não dava nem pra andar de tão lotado...

Salão da Biblioteca que não dava nem pra andar de tão lotado…

Pois é! Você que não veio perdeu! Foi uma festa e tanto, com sessão de autógrafos (grande coisa) e uma apresentação semi improvisada por alguns amigos escaladores, que eu carinhosamente apelidei de Ukulele Brothers. No fim das contas foi uma apresentação muito boa, o entrosamento apresentado foi exepcional, e o repertório ficou de tirar o chapéu! Parabéns Cleber, Beto e Tony Lakota pelo Show! Foi um espetáculo! E obrigado hehehe

Beto, Tony e Cleber tocando grandes sucessos do cancioneiro popular brasileiro como Wando, Fagner, Agnaldo Rayol, Wanusa (incluindo o Hino Nacional para abertura do evento), e Sidney Magal. #SQN

Beto, Tony e Cleber tocando grandes sucessos do cancioneiro popular brasileiro como Wando, Fagner, Agnaldo Rayol, Wanusa (incluindo o Hino Nacional para abertura do evento), e Sidney Magal. #SQN

Tivemos presenças Ilustres como o Ricardinho (Luis Correa) instrutor com quem fiz o meu primeiro curso de escalada e com quem pude realizar muitos trabalhos verticais posteriormente. O Espeleólogo Bedu também esteve aqui, teve familiares, colegas, parceiros, trutas, e tivemos presenças até de Franca e Campinas que vieram para o lançamento na esperança de estrear o guia no sábado. Mas pedrão não deixou e acabamos indo pra Invernada. Ainda teve um churrasco vegetariano com opções para os carnívoros para encerrar a noite, onde mais presenças ilustres puderam somar à festa.

Sessão de Autógrafos: "... Autografado é mais barato? Me da dois sem autografar..." kkkkk

Sessão de Autógrafos: “… Autografado é mais barato? Me da dois sem autografar…” kkkkk

E como a festa tava boa, confira alguns vídeos da excepcional Banda, que está aceitando contratos para shows kkkkk

É isso aí pessoal! Obrigado a todos que compareceram à festa, esses rituais são muito importantes para celebrar as mudanças necessárias e as conquistas! E se puder ser com pessoas como vocês, melhor ainda, valeu mesmo!!

E pra quem quiser o livro já está disponível na Quero Escalar!

LANÇAMENTO: “GUIA COMPLETO DE ESCALADA DO CUSCUZEIRO”

Essa é a cara do novo Guia!

Essa é a cara do novo Guia!

Senhoras e senhores, venho através deste post orgulhosamente convidá-los para a festa de lançamento do “Guia Completo de Escalada do Cuscuzeiro”. Sim! Está pronto, está impresso, está lindo de morrer. Como pai coruja, devo confessar que ficou melhor do que eu esperava. Cheio de fotos, com papel chique, colorido e com informações sobre praticamente TODAS as 61 vias do Cuscuzeiro, é um guia pra ninguém ficar perdido procurando via ou entrando em via errada. Até mesmo quem nunca veio pra cá de outros estados não terá dificuldade de, sozinho, encontrar o local, as vias e se divertir e aproveitar todo o potencial que o lugar tem para oferecer. Os detalhes do Guia você pode conferir aqui na QUERO ESCALAR =)

Detalhes de como utilizar o Guia

Detalhes de como utilizar o Guia

Mas eu quero mesmo é convidar a todos para a “FESTA DE LANÇAMENTO” que ocorrerá no dia 26, (sim, daqui uma semana) aqui na Biblioteca Comunitária da Ufscar, atrás da Caixa d´água de escalada do CUME. O Evento está marcado para começar as 19hrs, com sessão de autógrafos e para os mais incrédulos, show imperdível com os Ukulele Brothers, Cleber Harrison da aclamada Banda The Beetles One e Bruno Alberto (Vulgo Beto, que ilustra inúmeras vezes as páginas do guia). Só não vai rolar comes e bebes pois será no saguão principal da Biblioteca, mas isso a gente pode providenciar na sequência, o que acham? =)

Seção enxuta com informações das vias mas sem dar spoilers pra quem preza pela escalada à vista

Seção enxuta com informações das vias mas sem dar spoilers pra quem preza pela escalada à vista

O Guia será vendido a R$30 a partir do Lançamento, então aproveitem para prestigiar, adquirir um dos melhores guias de escalada do mundo Brasil e curtir um som com a dupla quem vem ensaiando e tocando junto há mais de 2horas! Depois quem anima um churras vegetariano com opções para os carnívoros?

Todas as vias detalhadas numa seção separada, tin tin por tin tin. Né milú?

Todas as vias detalhadas numa seção separada, tin tin por tin tin. Né milú?

Nos vemos lá?!

Adquira o seu! Vendas a partir do dia 26...

Adquira o seu! Vendas a partir do dia 26…

Ah, e não esqueçam de solicitar a tabela de pré venda de produtos da Edelrid com preços especiais até dia 30/09!

Capa nova ED

Treino para Baixinhos! (vulgo “Short-leg”)

Essa pequena grande escaladora provando que tamanho não é documento, é desculpa esfarrapada! kkkk

Essa pequena grande escaladora provando que tamanho não é documento, é desculpa esfarrapada! kkkk

Saiu na Climbing de Janeiro uma curta reportagem falando sobre a pequena Ashima Shiraishi, escaladora de apenas 12 anos que tem escalado vias duríssimas na rocha: 11b de via e V13 de boulder – Inclusive é a pessoa mais jovem a mandar esses graus. Isso porque ela nem pode andar na Montanha russa do Hopi Hari ainda por causa do tamanho! Como sempre ouço os anões reclamando que pra mim é mais fácil porque já alcanço as agarras (e esquecem que tenho que levar 85kg pra cima!), vou transcrever a reportagem, que conta um pouco como é o treino da pequena, que tem que focar muito em blocadas* para alcançar agarras sempre longe, dinâmicos ou usar regletinhos que para os outros nem passaria pela cabeça usar nem como agarra de pé. Diz ela que na maioria das vias ela tem que pular pra alcançar a primeira agarra das vias. 

TREINO

Não se intimide por pensar em treinar especificamente força: não é tão difícil quanto você pensa. Kris Peters, personal trainer de uma dúzia de escaladores profissionais, passou esse exercício pra fazer no final do seu dia de treino. Ele irá lhe ajudar a ficar mais forte e garantir a força de blocada que é tão importante nos moves esticados. 

Descida dos 6 segundos da morte

1. Encontre uma barra, finger ou campus board. 

2. Faça uma barra e desça bem devagar contando até 6. Você não pode estar na posição que você começou (mais baixa) antes dos 6 segundos. 

3. Uma vez que você alcança a parte mais baixa, pague outra barra o mais rápido possível e repita o processo de descida lentamente

Séries: 1 a 6

Descanso entre séries: 3 minutos entre cada série.

Repetições: 5 (ou menos dependendo da sua habilidade).

(traduzindo para o bom portugês leigo: faz 5 barras descendo devagar toda vez, e ao final das 5 barras, descanse 3 minutos e repita tudo novamente de 1 a 6 vezes).

“É seguro porquê a descida ajuda a aliviar o stress dos tendões do cotovelo. Por isso eu faço “exercícios antagônicos” depois de um dia de escalada para alongar os tendões depois de ter apertado o dia inteiro” diz Peter. Esse tipo de treinamento excêntrico foca no alongamento dos músculos, o que treina o corpo a ter maior controle e foco no desenvolvimento da força de blocada. 

*Blocada é aquele movimento em que você se puxa inteiro numa agarra para ficar mais perto da próxima, e deve manter a posição com um braço enquanto o outro sai da agarra atual e se dirige até a próxima. Especialmente crítico quando essa próxima agarra está bem longe ou a agarra na qual vc tem que dar a blocada é muito ruim.

É tipo eu e a Fabi!

É tipo eu e a Fabi!

 Ah! E queria avisar a todos que estamos com uma super-promoção de calças-bermuda na Quero Escalar esse mês! E só para os leitores do Blog, quem levar mais de 3 ganha frete grátis! É só clicar na foto, aproveitem!!

Promoção de calças-bermuda na Quero Escalar! Poliester com cordura, sem cordura ou de Ripstop!

Promoção de calças-bermuda na Quero Escalar! Poliester com cordura, sem cordura ou de Ripstop!

Em busca da parede perfeita…

Essa foto ficou tão massa que vou até abrir excessão e não por uma mina no post de hoje! Via Manga com leit.. não, pera....

Essa foto ficou tão massa que vou até abrir excessão e não por uma mina no post de hoje! Via Manga com leit.. não, pera….

Pois é, ainda não voltei a tikar meus projetos no cusco ou itaqueri, mas já ta rolando uns treininhos pra espairecer. Enquanto isso, temos procurado paredes novas pela região de São Carlos (Ipeúna/Itirapina). Infelizmente as duas que fomos eram uma obra prima da engenharia: Paredes de arenito perfeitas. Perfeitamente lisas: parece que foram alisadas com colher de pedreiro sem NENHUMA agarra. Esperamos que a chuva de Granizo dessa semana que caiu em São Carlos tenha esculpido algumas agarras nesses arenitos podres e lisos, porquê vô te falá… ta dificil! Incrivelmente minha câmera está de sacanagem comigo, reapareceu depois de ter sumido em Londrina, e depois dos rolês sumiu de novo. Quem sabe o próximo post. Temos feito uma vasta busca via Google Earth e encontrado várias paredes potenciais. Algumas surpreendentemente perto, a maioria surpreendentemente podres ou lisas. Continuamos a busca. A região das cuestas de Arenito tem bastantes feições de rocha e escarpas, e a se julgar pelas já existentes como invernada ou Itaqueri, que não aparecem na foto de satélite, tem muita coisa BOA escondida. Seguimos na busca, tirando um dia do finde pra procurar, averiguar, andar e quem sabe em breve encontrar o pico perfeito com pelo menos o mínimo de agarras pra sair pelo menos algumas vias numa rocha que não fique a marca dos dedos ao tocar. Enquanto isso fazemos passeios belíssimos pela região de cuestas, tão rica em paisagens porém bastante deficiente em trilhas de responsa ao público caminhante/trekker. Pra esse público a região é um prato cheíssimo a se explorar, abrir e elaborar roteiros que até o mais xiita dos escaladores deixaria sua cordinha de lado para percorrer. No sábado pudemos conhecer a gruta do Fazendão e descer seguindo pelo rio até o fundo do vale e encontrar a Boca do Sapo. Tudo com arenito pra lá de podre e/ou sem agarras. Uma caminhada de algumas horinhas num local bastante aprazível.

E onde sabemos que já houve tentativas de abrir vias, ou abrimos algumas de fato, o pico está fechado por irresponsabilidade de um escalador pelo acesso passar por alguma propriedade privada cujo dono é um milionário que não quer saber de ninguém entrar pra perturbar seu “miniclube particular”.  

Mas enfim, quem souber de uma parede genial compartilhe conosco que nós retribuimos compartilhando o knowhow e os apetrechos, como de fato está ocorrendo em cidades próximas. Espero poder compartilhar novidades em breve!

E essa semana saíram alguns videos bem massa, e até lembrei de um de uns anos atrás bem legal também. 

Começando com a 4º parte da série sobre “re-escalando as clássicas”. No post passado eu pus o episodio 6 mas esqueci do 4º, então vai lá… Algumas vias míticas antigas mais famosas pelo conquistador ou primeiroascensionista que pela via em si. Dessa vez, outra lenda, Jerry Mofat em “The face” 8a+ (10aBr) da década de 80. 

E aqui o garoto sensação inimigo número 1 do Adam Ondra Alex Megos em um rolêzinho pelos picos Ingleses. Tempo ruim, frio, chovendo e ventando… Saudades da Espanha hein lemão?! kkkkk

O Ex-atleta Petzl e Atual BD Joe Kinder Ovo em um projeto caracteristicamente espanhol no quintal de casa nos EUA. Será que ele perdeu o patrocínio Petzl depois da polêmica de abrir e arrancar do pé da via para proteger a queda entre a segunda e terceira chapa onde é o Crux, duas árvores centenárias e protegidas pelo Ibama e venerada pelos escaladores locais? 

E falando em Polêmica, o Joe Polêmico Kinder em mais um FA só que dessa vez com algumas agarras bastante suspeitas, tipo uns tridedos de 3/8″… será? kkkk

E acabamos com um vídeo centenário (tá, deve ter uns 4 ou 5 anos apenas) da Petzl com escaladas Vintage.. Alguém anima fazer a versão brazuca? hehe

Bem, acho que por hoje é só… Seguimos na busca por paredes escaláveis, se quiser contribuir com a escalada e compartilhar alguma que você conhece na região, chama nóis! (mas tira foto antes hehe) ;)

Vídeos e novidade!

Shimoto, em sua homenagem a foto-decorativa de hoje!

Shimoto, em sua homenagem a foto-decorativa de hoje!

Semana passada foi uma correria: entre arrumar malas, aprender a usar um programa novo e com ele fazer uma apresentação para o 15º Encontro de Escalada de Londrina sobre erros comuns e práticas seguras em Escalada Esportiva, não sobrou tempo para post no blog. Mas em compensação o Encontro foi muito legal, fiquei com uma melhor impressão ainda do pico dessa vez, tendo entrado em vias “modernizadas” seguras mas não por isso menos desafiadoras. Viagem tranquila, amigos agradáveis, bom climb, enfim, tudo na paz. Pena que esqueci minha câmera e não tirei nenhuma foto :/ Na verdade não faço idéia de onde ela esteja!

Enquanto isso, não muito longe dali… Acumulei alguns vídeozinhos muito interessantes. Vamos a Eles?

Começando com a super conquista brasileira no Fitz Roy, na Patagônia. Muita sorte com uma ventana de tempo bom incrível, e claro, muita competência por parte dos escaladores incontestáveis Sérgio Tartari, Flávio Daflon e Luciano Fiorenza.

E mais um filminho brazuca bastante simples e aprazível. Tardes de outono em Floripa mostra um lado Catarinense pouco divulgado por aí com uma escalada bonita num vídeo bem instrutivo. Diz a autora do vídeo que vem mais por aí… Estamos no aguardo! =D

E lembra daquela série da Mammut sobre vias velhas escaladas por escaladores novos? Pois é. Aparentemente hoje em dia os escaladores ficam escolhendo as vias mais perfeitinhas e no seu estilo pra evoluir ou pelo menos se divertir. No de hoje o Sean MColl um dos grandes das competições Não-mandando a via Hubble da Lenda dos anos 80 Ben Moon, que abiu e aparentemente foi o primeirio a mandar a via que tem agarra molhada, clipada tensa, crux no começo, passagens esquisitas, em pouco mais de 15m… haha 

E já que já fomos pra gringa, um vídeo que dá água na boca sobre um pico alucinante. Detalhe que é um vídeo comercial feito pelo/para o abrigo local e mesmo assim é de se assistir de novo. Detalhe para a Caroline Ciavaldini de Biquininho. ;P

Se você gostou da Carol, veja esse vídeo que mostra, entre outras coisas, um pouco do início de sua carreira:

Mas falando em garotas gringas... Ô Grória.. Daila Ojeda, Alizee Dufraisse e Olivia Hsu contando sobre suas motivações na escalada e claro, escalando num daqueles vídeos Zen da prana para quem é vegetariano, vai pro trabalho de bike, ajuda no azilo, doa sangue toda semana, não fala palavrão, não bebe alcool, não usa drogas e não fala mal de ninguém. (ou seja, não existe kkkk)

E Aqui a lenda viva Cuscuzeiriana, o cara que abriu as famosas Watch Me, Let´s Go, Mosquitos, Denorex, Fly or Die e Manga com Leite no Cuscuzeiro, o tal do “Alemão”… Carsten, falando sobre as maravilhosas cordas da Edelrid:

No final, mas não por último, uma palestra/vídeo/documentário sobre o famigerado Alex Honnold. Perguntas inusitadas… E confessando sobre sua motivação para solar vias e como ela foi mudando ao longo do tempo. “…No princípio eu comecei a solar pra ver se eu comia alguém..” kkkkkk Hilário…. 

E encerro deixando a foto da capa do Guia do Cuscuzeiro que finalmente está na Gráfica para impressão. Em breve à venda em alguns lugares que eu vou selecionar a dedo kkkkk

Guia Completo de escaladas do Cuscuzeiro - Já na gráfica, em breve, na Quero Escalar!

Guia Completo de escaladas do Cuscuzeiro – Já na gráfica, em breve, na Quero Escalar!