CarnavArcos!

Carnaval em ritmo de festa!

Carnaval em ritmo de festa!

O sábio erótico Clóvis Basílio certa vez disse que …”O carnaval da Vivi Fernandes é um dos melhor carnaval”… (sic). Eu vou ter que discordar. Certamente Kid Bengala não conheceu a galerinha do bem que esteve no último carnaval escalando em Arcos, no Rastro de São Pedro. Foram 6 dias de muito climb, festa e  claro, como não pode faltar em todo bom carnaval: furação.

Com a proposta de fazer um Carna diferente, gente de todos os cantos lotaram o pico, que agora conta com 102 vias esportivas praticamente. Mesmo com tanta gente, não houve fila nas vias, pelo contrário, o que rolou foi o comentário de pessoas diferentes em setores diferentes, que aquilo ali tava parecendo um ginásio de escalada: Muitas vias equipadas e muita gente dando A VIBE. E já que era ocasião, teve gente até escalando de fantasia de carnaval. Galerinha do São Carlos Pression Team pode passar o rodo em vários 7a´s e tivemos vários “primeiros 7a´s redpoint, flash e a vista”. Eu mandei meu primeiro 7c em flash (Cafeína) e se eu tivesse visto que a parada da via era pra direita e não pra cima como eu achava, teria mandado outro 7c a vista (A estréia)! Foi loco ver o Ives despertando seu escalador interior que estava dormente, mandando vários 7a´s, e até o Cleber que escala a menos de 8 meses mandou a “entre a sol e a sombra”. Beto pra variar passeando em todas as vias abaixo de nono e o Daniel com a Li curtindo uns quintinhos. Até o Sérgio apareceu com a Rose!! O Gera pôde consolidar sua escalada com vários sétimos também e aprender como NÂO se deixa a corda durante uma escalada dura tipo a cafeína<momento acuzada!>.

Pudemos conhecer os setores novos, muita via nova e todo mundo sem ficar perdido graças a um croqui bem feitinho que pode orientar a todos onde estavam as vias. Sem contar as plaquinhas estratégicas com os nomes das principais vias dos setores. Por muitos anos eu falava que tinha isso na Europa e que era muito massa, que me ajudou muito nas minhas viagens por lá, mas os vovôzinhos do Climb ficaram de putaria falando que isso tiraria o espírito da aventura. Mas aí vc vai no pico, com mais de 100 pessoas, e pergunta se essas pessoas estão reclamando? Ou se estão tendo ótimos momentos escalando com a galera e dando risada? Enfim. Parabéns ao GT Arcos pela proposta, iniciativas como essa só agregam ao esporte, que vem crescendo desenfreadamente, mesmo com tanta gente fazendo tanto pra sugar ao máximo em vez de contribuir de maneira construtiva. Sempre vai ter uma chapa que podia estar mais pra lá ou mais pra cá, é natural. Nem tudo é perfeito e a escalada é feita por seres humanos. Então em vez de reclamar, que tal aprender com os erros alheios (e próprios, claro) pra não acontecer de novo e  mandar um “Muito obrigado” pra essa galera de Arcos que vem botando a mão na massa? Valeu galera. É o Peixe, é o Cintura,  Carlão, Alexsandro, Ricardo Animal, Maurinho e uma galera que eu nem conheço mas sei que dão um trampo pro fico estar filé desse jeito.

Quando escalamos pela primeira vez a “Tufantástica” 6º, ficamos de namorico com a paredes que tem pra direita dela. E no “dia de descanso” fui com o Ives pra esse setor. Escalei uma canaleta pra direita do setor laçando árvore, vários bicos de pedra e fiz “cume”. Puxei a furadeira e desde o cume bati na virada o primeiro furo da parada da primeira via que conquistaríamos no feriado. Escalamos um escalador alto e um baixo e marcamos onde seriam as proteções. Fiz quase todos os furos mas no final tive o privilégio de “ensinar” o Ives a fazer o seu primeiro furo. Ele que vem sendo meu fiel escudeiro em várias conquistas, agora está se emancipando e botando mais a mão na massa. No final subi a via fazendo o FA (de um quinto grau, vale isso Arnaldo?), paguei uma travessia pra esquerda com a ultima costura vários metros pra baixo do pé e, completamente torto e ejetando da parede, comecei a fazer o primeiro furo da via da esquerda. Mas a bateria acabou no meio e eu tive que voltar, desescalar e deixar pra outro dia. No último dia escalei o quinto grau de novo, paguei a travessia desajeitada pra esquerda, lacei mais alguns bicos pra proteger a grande queda/pendulo e consegui terminar de bater a parada dessa outra via. Calculei certinho onde a corda iria passar pra não pegar em nenhum bico e como diriam no jargão local, “implantei”. Escalamos, marcamos e furamos. Enquanto isso a Dupla de Betos furava o final de uma via que o Betão de Divinópolis ja vinha namorando a tempos, pra esquerda da macaco não tem culpa. O Betinho subiu a mãe gaia, atravessou pra esquerda e bateu parada e vários furos no final da via. Mas a logística ficou bem comprometida pelas baterias estarem fazendo por volta de 3 furos cada uma, então era o tempo de ir na casinha deixar pra carregar e voltar pra pegar outra. Acabou que a via dos Betos não foi terminada pelo sol intenso e as bateras, mas não tardará muito voltaremos pra terminar o projeto! A outra via terminamos, deixei o Ives começar, e com umas 4 idas e voltas à casinha pra pegar baterias, o Ives furou a via toda. Está graduado na arte de furar. Agora só falta pagar acessos duvidosos com proteções precárias pra bater as paradas rsrsrs

Além de muito climb e furação, rolou muita cachaça festa a noite. Os donos do Camping tão mais pra melhores amigos que outra coisa. Nos sentimos muito a vontade, e ficamos muito gratos por poder vir ficar na casa de amigos quando vamos escalar em Arcos, isso não tem preço! E claro, numa certa altura das festas noturnas diárias rolou o momento Bigodagem: Todos os homens barbudos cortaram a barba deixando só o Bigode à lá Freddie Mercury / Seu madruga e costeletas.  Mas tipo, rolou adesão praticamente completa de todo mundo! Até as meninas fizeram bigode de Carvão. Isa, Ju, Mel, Ives, Cleber, todos que não tem barba aderiram ao movimento. Por isso a via da esquerda que conquistamos ficou em homenagem à essa galera que cortou barbas centenárias: Bigodagem, 6º. A via da direita ficou muito gostosa de escalar e por isso ficou com o nome de: “Delicinha”, 5º.

Apesar das festas noturnas no camping , todos os dias na rocha era dia de festa. Gente escalando de peruca, cartola, fantasia de pirata, máscaras de carnaval, calças com reforço de cordura kkkkkkk Maior vibe MESMO, galera se conhecendo, escalando junto, foi muito massa! Pude conhecer várias celebridades que só conhecia por facebook, se tivesse caneta pediria até autógrafo hehehe

E foi isso galera! Tem muita historia pra contar mas dessa vez resolvi ser mais sucinto no relato e encher de fotos que agradam mais né? Qualquer dia desses eu upo no xvideos os videos que eu fiz com o celular das festas noturnicas!

Valeu demais a todos que conheci no Camping, vocês são demais e espero poder escalar com vocês de novo em breve! Aos parceiros que acompanham sempre _/\_ Gratidão 😉

Atitude Positiva!!

Isa na Sonho de ícaro

Isa na Sonho de ícaro

E eis que no feriado, ao contrário dos planos de meses, faltando 5 horas pra sair de casa, mudamos o destino de Arcos pra São Bento. O motivo?! Uma escolha lógica: Em caso de Sol, escala-se em ambos os lugares. Em caso de Chuva, Em Arcos não escala-se nada e ficaríamos acampados no meio da lama, A Marta, o Felipe e eu… Já Em São Bento escala-se um pouquinho (Falésia dos olhos) porém se faz social o tempo todo. Fomos pra SBS. Ficamos na tia cida. Gastamos horrores, foi uma tragédia financeira, mas felizmente pude me permitir uma extravagância dessa vez. E para ficar com a Martinha, escalarmos juntos e se reintegrar ao SCPT foi excelente. Ela escalou, guiou, voou, foi lindo de ver. Já eu por minha vez bem… vamos aos fatos:

Primeiro dia fomos para a Falésia dos Olhos pois a previsão do tempo mandava água. Não veio, mas foi divertido. Depois de muito tempo sem escalar pude entrar na Quebradeira achando que era um quinto e xingando até a quinta geração da pessoa que me fez com tendências a ganhar uns kilos a mais quando fico sem poder escalar. Mas depois descobri que a via não é tão quinto assim quanto eu pensava. Depois, psicologicamente abalado entrei na sonho de ícaro. Sem resistência alguma, fui parando, e achando esquisito que tava quase mais fácil que a quebradeira. A Isa deu uns pegas na sonho de Ícaro, e a Bia na Bulls on Parede. O Beto, Gui e Raul ficaram malhando a “Despertar de Ícaro” um 8b novo que é a continuação pra esquerda da Sonho de Ícaro. Eu não me deixei abalar e para nao ficar parado fui na Rock and Roll na Catedral, que, ainda que a prestação, sabia que chegaria no final, porque o que eu queria era escalar.

Quebradeira. Entrei achando que era 5° e desci achando que eu estava em péssima forma! kkkkk sorte que disseram ser 6sup heheh

Quebradeira. Entrei achando que era 5° e desci achando que eu estava em péssima forma! kkkkk sorte que disseram ser 6sup heheh

E no segundo dia não tem foto nenhuma! Mas fomos pra Divisa, fizemos a rapa no setor tetos. Pude repetir a Pânico, um 7b que eu tinha mandado mil anos atrás e que eu lembro ter ficado com uma dor no pulso por umas semanas depois da cadena hehehe Mas desta vez foi tranquilo. O engraçado é que a galera já me conhece e sabe que eu sou um fanfarrão, parece que eles pedem pra eu fazer Genjices quando to escalando hehehe O foda é que a maioria das genjices (tipo todas) eu faço mais porque eu quero fazer, espontaneamente, do que por pressão popular. Mas o melhor veio depois: Tava na Pânico, me fudendo lá na contra do crux, espumando como diria o Russão, e a galera deu a maior vibe, foi da hora! Aquele momento que vc ta lá sem saber se vai dar pra ficar na próxima agarra pq ta no veneno.. costura no pé… cotovelinho subindo… Aí a galera começa a Gritar, é mto loco, dá +2 de motivação, +1 de força, +1 de resista e +1 de foco!! Aí minhas ganas de escalar foram aumentando e parece até que o que eu precisava era escalar uma via no limite pro corpo acordar… Massa demás!

Essa galerinha é da Vibe positiva!!

Essa galerinha é da Vibe positiva!!

Galerinha do Rio tava lá, dando a vibe, risada, pitaco, foi muito massa esse dia! Aquele clima massa! Sempre tem um rabugento pra conturbar as coisas (que nem tava com a nossa galera), mas nada disso atrapalha os climbs com essa turminha do barulho aprontando altas confusões. A Marta entrou duas vezes mostrando muita atitude, na primeira parte da Psicose, e ainda deu Beta pros outros que entraram depois! Ela também por pouquinho não manda a Hellraiser, na qual ela entrou guiando. _o/\o_  O Felipe e a Bia deram dois pegas na It’s only Rock and Roll e saiu cadena!! Depois o Beto, Gui e Raul foram para o setor comunista enquanto a gente fazia as já equipadas ou equipava as vias por ali mesmo. A Matriarca-Mor do Sanca Pression Team, a Naná (da época que nem tinha esse nome) estava lá com o Rôdela, o Chris, o Rogério (Figuraça)  e as respectivas (foi mau meninas, mandem seus nomes nos coments aí pra eu updatar o post depois!) . É quando vc sai do Climb leve, com a sensação de que está tudo bem e que estão todos felizes (Menos o Raul que não pode esperar a gente limpar a via no escuro, porém cuja felicidade é facilmente compravel com uma cachacinha hahaha)

 

Felipe, Eu e Marta na 3° parada da Elektra, na Ana Chata

Felipe, Eu e Marta na 3° parada da Elektra, na Ana Chata

E no sábado o dia mandava tempo bom. Fomos pra Ana Chata porque eu queria levar a Marta pra fazer sua primeira parede. LEvamos Um saco de cimento, tijolos, areia… kkkk E fizemos uma cordada de 3 com o felipe também, que também estreava em ambiente paredeiro. Tivemos que esperar 1h pra entrar na via, mas o timing foi perfeito pois as nuvens iam alternando entre sol e sombra, foi muito massa. Só no finalzinho eu achei que poderia chover a qualquer momento, mas não choveu! Ahhh, a quinta enfiada. Depois de um apertozinho na quarta enfiada que tem coisa de 30m e 3 proteções, me esbaldei de proteger a enfiada em móvel. Não é nem que tava precisando, mas é que é tão gostoso enfiar os negócio nas fendinha e ver como fica bala! No cruxzinho rolou até entalamento de joelho e semisoltamento de mãos hehehe Nas duas ultimas enfiadinhas, que é uma travessia horizontal pra esquerda de 15m mais uns 20m até o cume, eu emendei pra ganhar tempo, Mas depois paguei o preço por ter deixado os friends pra trás. Nessa última enfiada só tem uma chapa. Ta certo que é facil, mas eu meio que me senti SOLANDOOOO hehehe se eu caísse ali, ia cair MOOOOITO. Mas foi da horinha. O único lancezinho vc faz com a costura no saco. Fizemos sessões de fotos no cume, separamos equipo e descemos, chegando no carro pouco depois de escurecer. E fomos direto pra Truta! E você acredita, que a garçonete admitiu rapidamente ter errado nas contas e devolveu o dinheiro cobrado a mais sem titubear? Ponto para o time dos Trutas honestos. <Tu dun – Tsss>

A cara do Felipe nessa foto ficou muito massa!!! kkk

A cara do Felipe nessa foto ficou muito massa!!! kkk

E aí no último dia estávamos todos des-tru-í-dos. Estávamos entre ir pra Divisa ou pros Olhos, mas acabamos indo pra vista aérea seduzidos pelas promessas de vias em móvel bem protegíveis uma trilha de 5 min do carro ao pico. Eu comecei fazendo a Mamão com Açúcar, achando que era só em chapa. Na verdade ela é, mas como eu queria ter levado meus friendinhos para um lance ou outro!! (#Fikadika). Depois que a marta fez ela também, fiz com ela uma Oficina de Escalada móvel, que a Isa Chamou de TRAD CLIMBING CLINICS hehehe ela ja tava até querendo subir guiando pondo as peças (mas de top hehe).  E eis que quando a Isa ia equipar a quinto apoio pra nóis, começa a chover! Mas isso já era umas 2 da tarde! Vazamos!

Beto na Batdiedro, Vista Aérea

Beto na Batdiedro, Vista Aérea

Só sei que na viagem, pra variar, começamos a pegar o trânsito na Fernão antes de chegar na Don Pedro, mas graças ao Beta do Koberle, pegamos o desvio em Guapirocada e viemos mais tranquilos. EU só queria comer uma coxinha de posto. Adoro. já era umas 7 da noite quando chegamos na Don Pedro na altura de Itatiba, e eu tava sem comer nada o dia inteiro. Como tava gostoso, nossa!!! Ah, outra coisa a se mencionar: IN-CRÍ-VEL o congestionamento e trânsito parado, deve ter sido algum recorde ou algo do tipo, desde São Carlos até a entrada da Anhanguera pela Washington Luís, coisa de 90km de congestionamento!!!! (só que no sentido interior- capital Xupa Paulistano)

E foi isso galerinha! Muita Vibe positiva na viagem, ver os aspectos positivos de tudo pois o que importa é estar feliz sempre e não mal humorado se cobrando resultados que isso não vira! O Negócio é Cobrar atitudes e mentalidade positiva, aí sim!

Valeu, até a próxima! E pra terminar, uma foto da Seg esperta de corpo de mim para o beto clipando (costura mágica em ação)  a primeira da Veneno Antimonotonia na Vista Aérea:

Se cair cai com a COSTELA no ossinho do cotovelo hein?!

Se cair cai com a COSTELA no ossinho do cotovelo hein?!

A bruxa ta solta!

Calma! Essa foto é de 2008, quando eu enfiei a mão num ouriço do mar – e eu já não gostava de praia ANTES…

Faz mais ou menos um mês eu fiz um treino de finger. Já vinha fazendo algum tipo de treino nele, mas nada muito puxado, apenas algumas suspensões nas agarras maiores, e aproveitava e fazia puxadas abdomnais (Puxando o joelho no nariz e descendo devagar com as pernas o mais esticadas possivel) pendurado, o que pra mim era a parte mais importante e eficiente do treino, que se traduzia mais em escalada fluente. Até que um mês atrás resolvi avançar no treino, e fazer a suspensão no reglete intermediário. Na hora lógico não deu nada, mas depois de uns dias aquela dorzinha incômoda não ia embora e até começou a aumentar. Era hora de parar. E cá estou eu, já ha 21 dias sem escalar (Não digo sem por uma sapatilha no pé pq aqui em casa eu coloco a sapatilha de vez em quando só pelo tesão pra relembrar a sensação). E quem mais está nessa comigo são as minhas fãs: a Sasha digiulian que teve que abandonar o RockMaster e o Campeonato Mundial em Paris este mês. Ela até foi para a final no Arco Rock Master, mas achou melhor abandonar por causa da lesão. E a outra é a Alizeé Dufraisse que lesionou o punho. É, as lesões são coisas que podem afetar até os melhores atletas! (imagina os ruim que nem eu! kkk)

De maneira que meu outro site já está quase pronto, estou pedindo a uma seleta casta de amigos para entrar e avaliar o layout e as funcionalidades, e logo logo teremos uma bela novidade no ar! Mas por enquanto vou colocando a seleção de vídeos do Genja, assim o blog vai cumprindo sua função social no meio escaladorístico: Mantendo atualizados e fornencendo assunto para as conversas desse bando de escalador que se o mundo está acabando não fica sabendo pq só lê notícia de escalada. (ah, e só pra esclarecer, quando eu escrever Cacrinsh ou cacrin$h, é o sinônimo da onomatopéia para aquele barulho de caixa registradora, sinalizando que algum dinheiro entrou em caixa).

Bem, e como não estou escalando essas semanas, vou postar o primeiro vídeo de um outro esporte, não estou certo se são os 50 ou 100m rasos (nem qual o nome deste esporte, vulgo: corrida hehe), porque não só de escalada vive o homem, é preciso variar de vez em quando! Video dedicado especialmente para o xibungo mais xibungo de itirapina, Bruno Marcondes, esse é em sua homenagem:

E agora sim, indo para os vídeos de escalada, começamos com o mais legal na minha opinião: Um estilo leve e gostoso de assistir (ainda que seja só o trailer) mas ficou muito original e divertido. Um casal que escala ônzimo grau (sim, ela também), sai de rolê pela Itália (a cantar ê ê A-há quando acabar o maluco sou eu) escalando e fazendo um vídeo muito bem animado, fica a dica casais!

E o segundo vídeo é um si ne qua non da semana, o mais comentado, twitado, faceado, shareado e viado (de view), com vocês, os dois mais populares das search engines do google: Adam Ondra e Chris Sharma (só de escrever o nome deles aqui o google ad-words já me pagaria uns R$50 hehehe – se eu tivesse) num teaser do próximo filme da Big Up productions, que ultimamente tem demorado mais pra lançar seus filmes, mas também, quando lança são blockbusters absurdos, com milhares de seeds no uTorrent! kkkkkk Ah, o vídeo é uma “pseudocompetiçãozinha” obviamente armada pela produtora de filmes pra ver quem manda primeiro um projeto e compara os estilos de ambos:  cheio de Cri-cris e gritaria do Adam Vs. o estilo Zen e os inconfundíveis “gritinhos do Chris Sharma”. O Chris Sharma perto do Adam ondra Parece eu perto do Guilherme: Um Maldito gordo hahahaha Enfim, vídeo!

A moda agora é conquistar vias novas. E como toda moda tem seus prós e contras. Ao mesmo tempo que aumenta o numero de vias pra gente subir, tambem estatisticamente falando pode aumentar o numero de vias estragadas, que ninguem vai querer subir depois (como é o caso da…) . Por isso é muito importante conquistar com parcimônia. Neste vídeo, aparece o escalador Italiano Matteo (e sua namorada Giuliana) que por acaso hoje, depois de eu ter assistido seu vídeo, mandou seu primeiro 11c aos 37 anos, a via Abyss, na França, em gorges du loup – via aberta por alex Chabot em 2006 com a primeira repetiçao do Bindhammer no ano seguinte. Bem, retomando, ele diz que curte um pico calmo, sem crowd, e que muita gente o desconcentra na hora de escalar, por isso ele mora numa província desconhecida da Itália, e equipa ele mesmo as vias. O Bom disso é que ele equipa as vias pensando na mulher dele, por isso o equipamento deve ser feito minuciosamente, e não deve sair por aí colocando bolt onde ele “achar que deve” (só na mulher dele que pode). Assim as vias ficam seguras pra ela equipar e todo mundo fica contente!

E já que o assunto é novas vias, vai outro video de abertura de vias, desta vez do “Petzl RockTrip”  da North Face, que vai acontecer em Kalymnos. Agora ta na modinha as companhias imitarem o que a Petzl vem fazendo ha mais de 10 anos: Equipar um setor inteiro novo e chamar a galera pra curtir um festival. A idéia é ótima e tem que ser copiada mesmo, mas nem todas têm tido o mesmo êxito, como é o caso da Salewa, que colocou em seu site um videozinho tosco mostrando os “salewa” rocktrips de anos anteriores, MUUUITO PAIA… hahaha Talvez eles devessem me contratar como consultor técnico de organização RockTrips ehehehe Estou aguardando sua proposta hein Salewa! Bom, voltando, novamente, ao foco: O Italiano equipando um setor novo em Kalymnos para o “Kalymnos Climbing Festival” e falando que tem de quartos a décimos, pra todos os gostos e que é pra todo mundo chegar junto e escalar na moral. Em Italiano, claro.

Prometo que agora ponho o último vídeo de conquista de vias. Esse é um tapa com luva de pelica nos conquistadores que tem medinho de usar Cliff. O Chris Sharma (ad-words: CACRIN$HHH!! Vou instalar essa porra!) conquista uma via em CEUSE na frança (la no pico onde ele mandou a Biographie/Realization 10 anos atrás e virou o fenômeno que é) só que essa conquista é debaixo pra cima, com a furadeira a tiracolo, e ele vai escalando em livre, fica no cliff e fura onde ele acha que precisa de bolt. Detalhe, a via é no minimo um ônzimo grau! É caliza de calidad eu sei (calcário), mas tem arenito bom que também dá pra ficar no cliff (e até em arenito não bom, se vc tiver com a sua costura da sorte que sua vó benzeu, no rack da cadeirinha).  Enfim, Com vc’s Chris Sharma e seu capacete de tartaruga ninja! ( É tão feio – o capacete, não o Chris Sharma (cacrin$h!) – que as pedras em queda livre vão desviar em meio a sua trajetória pra não pegar nele – até nisso a Petzl vem inovando).

O próximo é um daqueles vídeos-feedback do atleta que é patrocinado e fica um tempo sem aparecer na midia, aí faz um video desses pra ganhar moral com o patrocinador de novo hehehe Na verdade é especulação, mas como eu não tinha ouvido falar dessa mina NUNCA, então, sei lá hehehe Pode ser atleta nova patrocinada tbm, vai saber…

E agora um nacional: A chamada para o Encontro de Escalada Tradicional do Brejo da Madre (que parió a la araña de los cojones) de Diossss… Muito bem editado, e com filmagem em HD, fica dificil o vídeo nao ficar bom, mas confesso que mesmo com fullHD eu tenho as manha de estragar uma filmagem! hahaha (aguardem o The Sanstone Series episódio IV – a new hope, e o Sancapression Team: Adventure Tales).

E sobre a charada, a Isabella adivinhou no Churrasco, e a do Guilherme com Beta a Olivia e mais alguém do sexo feminino também descobriu! No próximo post eu mando a resposta!

Boa procrastinação txurminha!