Corrida e Escalada: Uma parceria que dá muito certo!

Ao longo dos meus 10 anos de escalador eu pude notar que não adianta querer evoluir na escalada sem comprometimento. Lembrando que eu não preciso explicar porquê a gente aperta tanto a tecla do “evoluir” na escalada, uma vez que é natural que todos buscamos executar da melhor forma possível tudo o que fazemos. Então, já que você também acha que pode melhorar na escalada, a evolução vem através do comprometimento com a escalada de diversas formas. São basicamente 4 maneiras de evoluir significativamente na escalada: Treinar, Escalar mais na rocha, correr e aprender a se alimentar corretamente. Em 10 anos, com certeza correr é uma das atividades em prol da escalada que mais benefícios oferece sob o menor custo, e maior rapidez. Ela ajuda a balancear as substâncias no cérebro responsáveis pela felicidade, depressão, controla niveis de colesterol, pressão…enfim, e é um esporte barato e acessível. Por isso, pedi para um grande amigo meu que começou a correr a um ano, é grande entusiasta da corrida e está me motivando a correr com mais frequência e dedicação, que escrevesse umas linhas para este humilde blog. Confira comigo, no replay…

A Corrida na Escalada, by Cleber Harrison

A escaladora Sasha DiGiulian corre cerca de 4 dias por semana para manter a resistência.

A escaladora Sasha DiGiulian corre cerca de 4 dias por semana para manter a resistência.

Convidado pelo querido amigo (da quinta série do antigo ginásio) Rodrigo Chinaglia a escrever uns quatro parágrafos para o seu blog com o tema “a corrida na escalada”, tenho que admitir que foi muito divertido contribuir com esse pequeno texto formatado ao estilo Genja para um blog que eu curto tanto e que me ensina muito sobre o que é interessante e importante em escalada. Gostaria de mencionar que considero a corrida o meu primeiro esporte, não por ser o meu preferido, amigos escaladores, apenas por ter começado a praticá-lo primeiro. Já fiz provas de 15km como a Corrida de São Silvestre e já corri até 30km em um treino para maratona (cuja distância é 42km), porém sou um entusiasta da corrida e não um expert no assunto e a intenção dessas linhas é apresentar um pouco do esporte mais praticado no mundo e que pode ser um ótimo complemento de treino para qualquer outro esporte que você pratique. A corrida é um esporte completo por si só e o objetivo aqui foi pensa-la um tanto em função da escalada. Assim, tive a idéia de citar alguns benefícios que, não coincidentemente, todo escalador também busca.

 1 – Fortalecer a mente

E é dada a largada! Nos primeiros 100 metros já deu vontade de parar e andar rs. Absolutamente normal! No começo, o seu corpo vai querer parar a cada passo e lutar contra isso faz com que você tenha que vencer mil pensamentos negativos para continuar correndo. Chega um ponto onde você simplesmente aceita que a dor é parte natural desse exercício e que parar não é uma opção. Mesmo depois de aquecido, essa dor pode migrar de um lugar para outro tipo fazer um tour pela canela, panturrilha, joelho, coxa, rim, clavícula, mas vai diminuindo e você aprende a conhecê-la e a dominá-la. Há uns meses atrás ouvi o amigo Beto (Bruno Alberto Severian) dizer que a escalada era “a meditação em movimento”, pensei na hora que a mesma definição se aplicava para a corrida. Correr é um exercício de meditação onde o movimento do corpo, a respiração e o pensamento tornam-se uma coisa só.

Ueli Steck talvez seja o maior exemplo de corredor/escalador. Ele subiu o Eiger (3.970m) em menos de 3 horas e seus treinos envolvem correr longas distâncias, correr em aclive e muita corrida de trilha.

cleber4

Cleber escalando naquele que já se tornou um de seus favoritos picos de escalada: Rastro de São Pedro, em Arcos/MG.

 2 – Controle de peso ou grosseiramente falando, perder barriga

Talvez a melhor forma de convencer aquele seu amigo barrigudo a correr com você né Genja. Além de ser super eficiente para equilibrar (ou mesmo perder) peso, correr trabalha muito a parte abdominal, o que também é ótimo para escalada. Quando você corre, não é só o joelho ou os pés que absorvem impacto, o abdômen também funciona meio como uma mola rígida e é fundamental para impedir o efeito chicote no corpo. Vale lembrar que nada disso é garantia para que você escale melhor, para isso precisamos mesmo é escalar ah sério, não me diga. A questão se correr pode te fazer escalar melhor é sim um tanto subjetiva. O Chris Sharma diz que seu único treino é escalar, no entanto a Lynn Hill é uma corredora devota. Sem dúvida, correr faz com que seu sistema cardiovascular (coração e vasos) se fortaleça e isso vai afetar positivamente a maneira com a qual o seu corpo trabalha. Concluindo, correr pode te ajudar a entrar em forma, perdendo peso, mas ficando forte. Afinal, os escaladores que mais se destacam são atletas relativamente magros.

Eu correndo 8.8km no treino aberto do Maurício Ninomiya no Damha em São Carlos-SP.

Eu correndo 8.8km no treino aberto do Maurício Ninomiya no Damha em São Carlos-SP.

3 – Ser Feliz

Correr é o maior anti-depressivo que existe! Parece meio insano, mas por quê praticar algo que te tira o fôlego, te causa várias dores e te faz querer parar a cada passo? Já ouviu falar da lenda do pote de ouro no fim do arcoíris? Pois é, no final de todo 10km existe uma generosa dose de endorfina e isso não é lenda de duendes. Segundo um estudo realizado na Universidade de Bonn (Alemanha), a liberação de endorfina (ou hormônio da felicidade) ocorre não somente no sangue, mas também em certas partes do cérebro. Muitas evidências mostram que atividades esportivas de longa duração induzem a uma redução de estresse, da depressão e melhora da ansiedade e humor. A corrida é um canal incrível para descobrirmos tal efeito e esse estado de euforia é comumente referido em inglês como “runner’s high”. Já ouvi dizer que o chocolate também faz com que o corpo produza endorfina, mas a vantagem com a corrida é que não engorda! Sem preconceito, galera …é, acho que ficou um pouco tendencioso agora rs

Turma do Chaves na Corrida de São Silvestre (2013) em São Paulo. Vale mencionar que o Batman, o Super-homem e até o Flash participaram, mas todos eles perderam para o Quenyano.

Turma do Chaves na Corrida de São Silvestre (2013) em São Paulo. Vale mencionar que o Batman, o Super- homem e até o Flash participaram, mas todos eles perderam para o Quenyano.

Enfim pessoal, espero ter transmitido um pouco sobre o mundo da corrida para vocês. Ter escrito esses parágrafos me fez pensar qual seria a principal razão de eu correr e isso é bem simples: corro pelo prazer e saúde, pelo estilo de vida que isso envolve, e pelo sentimento intenso de estar vivo. Foram essas mesmas características que me fizeram me apaixonar pela escalada. As vezes vejo algum velhinho correndo e isso me enche de admiração, me faz ter certeza que estou em um caminho legal e que essa riqueza é algo que todos deveriam conhecer. Bora correr, galera!

O lendário Dan Osman fazendo uma via em Speed Climbing – quase que uma escalada “correndo”.

Uma semana típica de treinos de Sasha DiGiulian

“Escalo cerca de 5 dias por semana durante 2-3 horas, variando o treino cerca de 4 dias por semana com uma hora de cardio (corrida). Na cidade, andar de bicicleta é o meu principal meio de transporte quando o clima está bom  – dessa maneira eu posso fazer um treino muito variado! Eu também faço treino de abdominal, cerca de 4-5 dias por semana, e um treinamento complexo com meu treinador, Alexi Thomakos, que envolve exercícios de resistência/peso corporal e pesos leves (incluindo flexões, campus board e atividades com bola).”

Fontes:

http://www2.uol.com.br/vyaestelar/cerebroecorpo_endorfinas.htm

http://www.rockandice.com/lates-news/striking-the-balance

http://www.reddit.com/r/climbing/comments/25yhtz/im_sasha_digiulian_ask_me_anything/

http://cruxcrush.com/2013/05/17/climbing-running/

Cleber Harrison é escalador, corredor e nas horas vagas interpreta John Lennon na mundialmente famosa banda "The Beetles One" (melhor que o original, diga-se de passagem)

Cleber Harrison é escalador, corredor e nas horas vagas interpreta John Lennon na mundialmente famosa banda “The Beetles One” (melhor que o original, diga-se de passagem)

Escale Magro

E já que o assunto de hoje é polêmico, nada melhor…

Muita gente pensa que escalada é um esporte que ou você faz bem já no começo, ou nem precisa começar. Este tipo de pensamento na verdade faz parte da seleção natural tanto pra pessoa “entrar” no grupinho da galera que escala, quanto em outros campos da vida, extrapolando tanto para os campos da sedução quanto profissional. A verdade é que depois que você começa a escalar você começa a sair menos com aquela galerinha “Luzer”* e sedentária da faculdade que adora ficar reclamando e colocando a culpa em fatores externos em qualquer assunto que surja.

Quando você escala (e talvez até por isso que você escale) você não vê as metas como simplesmente intangíveis. A gente apenas as vê, levanta e caminha em direção a elas. Por isso existe a seleção natural. Quando começamos a escalar, chegar ao topo de uma parede de escalada pode até parecer intangível, mas tendo como meta, nos colocamos aquilo como objetivo e trabalhamos nesse sentido até que o alcancemos. Assim como muitas vezes um muleque magrelo e forte sobe a parede rapidinho, manda bem no primeiro dia da escalada mas quando as vias começam a ficar mais desafiadoras ele para de escalar, também acontece o oposto: Aquela menina baixinha e gordinha, que teve dificuldade pra escalar desde o primeiro dia se acostuma com o desafio: trabalha para supera-lo e quando o faz, já procura outra escalada mais difícil tornando-se assim uma excelente escaladora.

É tudo uma questão de atitude, de encarar os desafios, de pegar para si a responsabilidade que é só sua mesmo, e, uma vez admitido que você quer aquilo para si, ir até o fim e conseguir. Aí você começa a entender que em outros campos da vida é assim também: Basta levantar e caminhar em uma direção, tomar uma atitude, que os problemas muitas vezes vão se resolvendo sozinhos (assim como na escalada, só de escalar vc ja vai ficando mais forte ou aprendendo algo) e muitas vezes o mais dificil terá sido tomar a decisão e tirar a bunda da cadeira com a intenção de buscar uma solução para aquele problema.

Digo isso pois andei lendo muitos artigos essa semana sobre o tema Escalada X Peso. Qual o pesso ideal pra você escalar bem? Quão importante é estar magro pra poder escalar? Depende: Se você acha que escalar é fazer os mesmos quartos graus continuamente semana após semana sem nenhum comprometimento com o que você está fazendo, apenas pra “curtir” com os amigos que também vão escalar quartos graus pra sempre, então você pode ter um IMC de mais de 30 que tá de boa. Mas sinceramente, isso pra MIM não é escalada. Escalada é superação, é evolução. Ainda mais no Brasil: se você escala faz 2 anos e não guia um sexto grau, você vai viajar pra onde pra escalar? Nossos picos não são tão recheados de quintos graus assim. Os poucos que existem possuem fila. Ou você pode se esconder atrás de uma atitude de escalador “Trad” que faz parede. Aí vc não precisa treinar nunca, e ficar a vida inteira fazendo os segundos graus do setor colorido na Urca. Mas vc nunca pensou em fazer uma das vias mais bonitas do Brasil, “As Lacas Também Amam” 7c, no Pão de Açúcar? Nem precisa fazer a Migalhas indecentes (nono grau no CE2000), mas aumentar seu espectro de vias escaláveis pode ser muito saudável para sua escalada. Ir pro cipó fazer a Ninhos e a Melzinho na sua SEGUNDA ida pro cipó é osso hein? (porque na primeira tudo bem!;) (considerando que você NÃO mora a 1h do G3 né?) E a ética? A lamúrias? Eu quero mandar a especialidade da casa (Sem curintxa)! E tem a Tatara no setor foda que é coisa linda de Deus! Sem falar que to devendo a ética, ô que da hora, um monte de via por mandar! Me falaram de uma via nova sensacional chamada “chorrera musical”… nessa eu quero muito entrar! Acho que o segredo do Cipó não é que a gente manda todas as vias por lá, mas acho que é porque a gente NÃO manda hehehe Aí quando volta pra casa fica mais motivado a treinar pra quando for viajar outros 900km  pra escalar tem que estar com a lição de casa em dia…

Enfim, o importante não é ter cadenas de décimos graus no currículo, mas sim ter a liberdade de poder viajar, escalar com os amigos em qualquer pico, e, no Brasil, infelizmente, você precisa ter feito a liçãozinha de casa para estar guiando pelo menos um sextinho grau a vista. É claro que você não deve se prender e deixar de ir porque ainda não está “forte o suficiente”, também faz parte da seleção natural da escalada ser ousado e arriscar… Mas também faz parte fechar um pouco a boca e treinar mais para que essas viagens se tornem mais prazeirosas. Se você escala, as chances de que vc esteja magro são altas, porém, como vc é brasileiro, se excluíssemos a variável escalada, vc teria 48% de chances de estar GORDO.

Você escala?

Atividade física até ajuda a perder uns quilos, mas quem está acima do peso – 48,5% da população brasileira, segundo o Ministério da Saúde– precisa fechar a boca para ter resultado, de acordo com pesquisas recentes.

Essa pesquisa é muito interessante, dizendo que não adianta apenas fazer exercícios (treinar, escalar por exemplo), é preciso fechar a boca também. Leia na íntegra aqui.

É impressionante como eu desfruto mais da minha escalada quando estou mais leve. É mais prazeroso fazer os movimentos estando levinho, por mais foda e no meu limite que seja e as vezes quando eu estou meio desmotivado pois não consigo mandar aquele projeto, só de estar escalando leve isso já me motiva pelo simples fato de estar escalando, o que me faz escalar mais. Se você é muito gordo, e está envolvido numa esfera de churrascos intermináveis, pessoas sedentárias e acha difícil se livrar das amarras da gordice, o Dave Macleod, autor do livro “9 entre cada 10 escaladores cometem os mesmos erros” dá uma dica: você pode treinar gordo, malhar seus projetos gordo, aí quando for pra mandar a via, você faz uma dieta nazista, perde 10kilos em duas semanas, manda, e volta a engordar. É engraçado diz ele, que ninguém vai acreditar que “aquele gordinho” mandou aquele nono. É claro que o Macleod fala que não basta emagrecer. Ter a técnica, a força entre outros fatores são fundamentais, mas perder peso quando já não tem o que melhorar nos outros critérios pode fazer a diferença.

Nem é tanto uma questão de estética, mas totalmente de saúde

Mas o importante mesmo é sempre estar evoluindo, ampliando a base da sua pirâmide (sua escalada deve ser como uma pirâmide: Base larga de sextos graus, e ir “afunilando” tendo em seu cúspide aquela via super hard naquele grau que vc mandou só uma –> Entenda mais sobre a pirâmide) mas também aos poucos ir elevando esse ponto alto. Sempre vai ter aquela via controversa que o povo de campinas fala que é 9a, e o pessoal de São Carlos diz que é 8c (aí vem um gringo e dá 8b hehehe) mas isso faz parte do climb. O que vale é a atitude de estar sempre escalando. Aqui no São Carlos Pression Team por exemplo a gente não se liga perguntando se vamos ou não escalar no finde. Simplesmente nos ligamos no sábado de manhã pra saber PRA ONDE. E você e seus amigos, são assim também?

Quando estava procurando sobre a função do peso na escalada li muita coisa sobre pessoas “normais” que praticam “escalagem” uma temporada de suas vidas só porque é legal, mas sinceramente, é a mesma coisa que vc ir andar de kart ou jogar boliche um fim de semana ou dois, e se considerar “O Schumacher” das pistas, se considerar escalador. Para entrar nessa categoria é necessário muito mais do que ter os equipamentos do ano super leves e falar pra todo mundo que você escala. É legal pois a escalada é um esporte que não te deixa mentir, ao contrário de outros esportes coletivos que dá pra mascarar resultados através do desempenho de outros (adversário muito bom, cara do seu time que jogou mal, etc…). Na escalada ou vc escala, OU NÃO. Quantas vezes vimos gente que chega com teninho da North Face, mochila da Deuter, pagando de “climber” contando altos causos de “escaladas que ele fez por aí”, batendo no peito méritos… Aí chega na parede (artificial, vertical, só com agarras de teto) e escala que nem um preá cego com dengue hemorrágica. Ahhh, mas não seja tão preconceituoso! Deixa o cara! Pra você que não escala é facil falar, mas pra gente que escala, que se dedica, que gosta, que investe tempo e muito mais nessa arte que é a escalada, não da pra não reparar ou se incomodar com isso. É a mesma coisa que um cara falar: EU TRABALHO COM TI (tecnologia da informação). Aí seu cunhado responde: AHHH PODE CRER, EU INSTALEI O AVAST NO PC DA MINHA SOGRA ONTEM!

Eu falando de escalada e vc vem me falar que fez rapel em Brotas?

Para ler mais sobre perda de Peso Vs. Escalada  acesse:

http://climbstrong.wordpress.com/2012/03/07/fat-loss-and-weight-management-for-climbing-part-one/

E só uma última dica para os pais:

Olha que menino Saudável!

Se seu filho está desse tamanho ele está doente. E você também: da visão. Como não viu e deixou seu filho chegar nesse tamanho? Por favor pare de entupir ele de porcarias e eduque-o de forma correta, ensinando-o a comer e a ter hábitos saudáveis. Ele vai te agradecer muito quando tiver consciência do bem que vocês terão propiciado a ele! Além dele, tanto seu corpo quanto sua auto-estima agradecem! Só quem não agradece são os outros meninos do colégio que praticam bullying nele.