Vídeos não, agora são FILMES de escalada

Nina Caprez em seu novo filme, Silbergeier

Nina Caprez em seu novo filme, Silbergeier

Esse final de ano foi repleto de filmes de escalada. Primeiro foi o ReelRock tour, depois o Brasil Vertical do Felipe Camargo, e logo o Silbergeier. Puts! Esse filme é insano e vou começar com ele! (mesmo porque o Reelrock tour nao tem na internet então só na base do torrent/truta que me passou)

Para o filme da Nina eu só tenho elogios: Uma ótima continuidade, ótimo “roteiro”, ótimo desenrolar da história, ótimas filmagens, ótimo tudo! E principalmente, ótima atuação do Casal Nina-Cedric que são dois palhações mesmo e o filme só fica sério a hora que ela ta apertando um regletinho no meio da via que é tudo ou nada para a cadena, pq o resto do filme é só zueira, muito legal. Inclusive a FANFARRONA da Nina chega num ponto famoso da via (Silbergeier, daí o nome do filme) em que tem uma foto famosa da década de 80 do conquistador da via descansando sem as mãos. Pois ela quando está ali ainda vira de costas e cruz os braços!! Sensacional esse filme, nós vimos quando estávamos no Roctrip na Argentina e no dia seguinte todo mundo quando chegava num descanso da via tentava virar de costas e cruzar os braços hahaha Essa Nina lançando moda mesmo viu! hahaha

Nina lançando moda hahaha Mão na nuca? já era...

Nina lançando moda hahaha Mão na nuca? já era…

E tivemos também o lançamento do Brasil vertical, que mostra o Felipe Camargo escalando os primeiros ônzimos do Brasil pelo Cipó e Rio afora. Tem também uma parte ele subindo um rodapé…

Já esse filme eu achei que faltou um final. O filme ia bem, com a narrativa, com a sucessão de cadenas, vai te prendendo ao “enredo”, até com a parte do boulder tudo certo, mas de repente: Ué? Acabou? Mas assim, já? Nem vai fazer uma conclusãozinha? Uma sequencia de imagens? Cenas de projetos nao mandados ou panoramicas do cipó? Entrevistas com os caras das antigas falando o que representam essas vias, sei lá… o filme meio que faz vc morrer (de pau duro) com um zap na mão… Mas as imagens são legais e o filme é muito bom, bem filmado, boa qualidade, só o final que ficou devendo, e muito. Poderia ter tipo um mapinha do Brasil antes de cada escalada com o aviãozinho indo de onde ele estava para onde ele vai, no estilo Street Fighter, pra mostrar ONDE de fato são as escaladas que ele ta fazendo, pra deixar claro que não é tudo num lugar só, muito menos na AMAZONIA como muito gringo vai pensar, certeza…

E já que dois filmes longos de tanta qualidade tomar-lhes-á a tarde toda para ver, hoje o post é curto, mas de Calidad!

Hoje as fotos do post são em homenagem a Nina. Não, não vou por foto do Felipe aqui hahahaha

Hoje as fotos do post são em homenagem a Nina. Não, não vou por foto do Felipe Camargo hahahaha

Inté!

Um vídeo à moda antiga

Nina Caprez! Nos vemos no RocTrip! 🙂

James Pearson e sua namorada Caroline Ciavaldine inovam mais uma vez: Depois do primeiro vídeo que aparecem quase num musical da Broadway, agora aparecem num filme retrô da década de 70 e 80. Com as roupas, equipos, sapatilhas e tudo! Muito legal:

E já que eu comecei a falar, bora mais um:

Continuando na onda do “Stop the Mimimi” de sou alto, sou magro, sou careca, “Ô CARAAAAA” , sou gordo, sou newba, minha sapatilha é nacional (ok, esta vale)… Enfim: este vídeo impressionante: Três escaladores fazendo a ZODIAC no El Capitain (um monolito de 1000m de altura) no parque nacional de Yosemite, na califórnia (o lugar mais famoso de escalada no mundo). Detalhe que o tempo todo tem um cara dando uma de joão sem braço, outro dando mancada e outro fazendo corpo mole! Mas isso não os impede de completar a via, que por si só já arrega muito escaladorzinho de rodapé por aí…

E por falar em rodapé, um videozinho simples porém interessante de boulder com graus baixos (v4, v3, v5…) só postei porque aparece o cara com uma sapatilha igual a minha, que nunca vejo em video nenhum hehehe (uma Feroce, da Scarpa) e porque é rápido.

Pra terminar: um campeonato de escalada muito bom num dos países com a maior crise do mundo, com mais de 28% de desemprego entre a população geral e mais de 50% dessa mesma taxa entre os jovens de 18 a 30 anos. Mesmo assim um super mega campeonato de tirar o chapéu… é o já tradicional DESPLOMAT… Vai ver que com tanto nego desempregado, há tempo de sobra pra escalar! Já dizia uma camiseta de um cara lá em Patones, falésia perto de Madrid: “…Gracias a el paro, subi el Grado..” Algo em portugues como: Graças ao desemprego, subi de grau! hehehe é isso aí, não desanimar nunca!

E chega que este é um post relâmpago!

[E não esqueça de votar na enquete]