Corrida e Escalada: Uma parceria que dá muito certo!

Ao longo dos meus 10 anos de escalador eu pude notar que não adianta querer evoluir na escalada sem comprometimento. Lembrando que eu não preciso explicar porquê a gente aperta tanto a tecla do “evoluir” na escalada, uma vez que é natural que todos buscamos executar da melhor forma possível tudo o que fazemos. Então, já que você também acha que pode melhorar na escalada, a evolução vem através do comprometimento com a escalada de diversas formas. São basicamente 4 maneiras de evoluir significativamente na escalada: Treinar, Escalar mais na rocha, correr e aprender a se alimentar corretamente. Em 10 anos, com certeza correr é uma das atividades em prol da escalada que mais benefícios oferece sob o menor custo, e maior rapidez. Ela ajuda a balancear as substâncias no cérebro responsáveis pela felicidade, depressão, controla niveis de colesterol, pressão…enfim, e é um esporte barato e acessível. Por isso, pedi para um grande amigo meu que começou a correr a um ano, é grande entusiasta da corrida e está me motivando a correr com mais frequência e dedicação, que escrevesse umas linhas para este humilde blog. Confira comigo, no replay…

A Corrida na Escalada, by Cleber Harrison

A escaladora Sasha DiGiulian corre cerca de 4 dias por semana para manter a resistência.

A escaladora Sasha DiGiulian corre cerca de 4 dias por semana para manter a resistência.

Convidado pelo querido amigo (da quinta série do antigo ginásio) Rodrigo Chinaglia a escrever uns quatro parágrafos para o seu blog com o tema “a corrida na escalada”, tenho que admitir que foi muito divertido contribuir com esse pequeno texto formatado ao estilo Genja para um blog que eu curto tanto e que me ensina muito sobre o que é interessante e importante em escalada. Gostaria de mencionar que considero a corrida o meu primeiro esporte, não por ser o meu preferido, amigos escaladores, apenas por ter começado a praticá-lo primeiro. Já fiz provas de 15km como a Corrida de São Silvestre e já corri até 30km em um treino para maratona (cuja distância é 42km), porém sou um entusiasta da corrida e não um expert no assunto e a intenção dessas linhas é apresentar um pouco do esporte mais praticado no mundo e que pode ser um ótimo complemento de treino para qualquer outro esporte que você pratique. A corrida é um esporte completo por si só e o objetivo aqui foi pensa-la um tanto em função da escalada. Assim, tive a idéia de citar alguns benefícios que, não coincidentemente, todo escalador também busca.

 1 – Fortalecer a mente

E é dada a largada! Nos primeiros 100 metros já deu vontade de parar e andar rs. Absolutamente normal! No começo, o seu corpo vai querer parar a cada passo e lutar contra isso faz com que você tenha que vencer mil pensamentos negativos para continuar correndo. Chega um ponto onde você simplesmente aceita que a dor é parte natural desse exercício e que parar não é uma opção. Mesmo depois de aquecido, essa dor pode migrar de um lugar para outro tipo fazer um tour pela canela, panturrilha, joelho, coxa, rim, clavícula, mas vai diminuindo e você aprende a conhecê-la e a dominá-la. Há uns meses atrás ouvi o amigo Beto (Bruno Alberto Severian) dizer que a escalada era “a meditação em movimento”, pensei na hora que a mesma definição se aplicava para a corrida. Correr é um exercício de meditação onde o movimento do corpo, a respiração e o pensamento tornam-se uma coisa só.

Ueli Steck talvez seja o maior exemplo de corredor/escalador. Ele subiu o Eiger (3.970m) em menos de 3 horas e seus treinos envolvem correr longas distâncias, correr em aclive e muita corrida de trilha.

cleber4

Cleber escalando naquele que já se tornou um de seus favoritos picos de escalada: Rastro de São Pedro, em Arcos/MG.

 2 – Controle de peso ou grosseiramente falando, perder barriga

Talvez a melhor forma de convencer aquele seu amigo barrigudo a correr com você né Genja. Além de ser super eficiente para equilibrar (ou mesmo perder) peso, correr trabalha muito a parte abdominal, o que também é ótimo para escalada. Quando você corre, não é só o joelho ou os pés que absorvem impacto, o abdômen também funciona meio como uma mola rígida e é fundamental para impedir o efeito chicote no corpo. Vale lembrar que nada disso é garantia para que você escale melhor, para isso precisamos mesmo é escalar ah sério, não me diga. A questão se correr pode te fazer escalar melhor é sim um tanto subjetiva. O Chris Sharma diz que seu único treino é escalar, no entanto a Lynn Hill é uma corredora devota. Sem dúvida, correr faz com que seu sistema cardiovascular (coração e vasos) se fortaleça e isso vai afetar positivamente a maneira com a qual o seu corpo trabalha. Concluindo, correr pode te ajudar a entrar em forma, perdendo peso, mas ficando forte. Afinal, os escaladores que mais se destacam são atletas relativamente magros.

Eu correndo 8.8km no treino aberto do Maurício Ninomiya no Damha em São Carlos-SP.

Eu correndo 8.8km no treino aberto do Maurício Ninomiya no Damha em São Carlos-SP.

3 – Ser Feliz

Correr é o maior anti-depressivo que existe! Parece meio insano, mas por quê praticar algo que te tira o fôlego, te causa várias dores e te faz querer parar a cada passo? Já ouviu falar da lenda do pote de ouro no fim do arcoíris? Pois é, no final de todo 10km existe uma generosa dose de endorfina e isso não é lenda de duendes. Segundo um estudo realizado na Universidade de Bonn (Alemanha), a liberação de endorfina (ou hormônio da felicidade) ocorre não somente no sangue, mas também em certas partes do cérebro. Muitas evidências mostram que atividades esportivas de longa duração induzem a uma redução de estresse, da depressão e melhora da ansiedade e humor. A corrida é um canal incrível para descobrirmos tal efeito e esse estado de euforia é comumente referido em inglês como “runner’s high”. Já ouvi dizer que o chocolate também faz com que o corpo produza endorfina, mas a vantagem com a corrida é que não engorda! Sem preconceito, galera …é, acho que ficou um pouco tendencioso agora rs

Turma do Chaves na Corrida de São Silvestre (2013) em São Paulo. Vale mencionar que o Batman, o Super-homem e até o Flash participaram, mas todos eles perderam para o Quenyano.

Turma do Chaves na Corrida de São Silvestre (2013) em São Paulo. Vale mencionar que o Batman, o Super- homem e até o Flash participaram, mas todos eles perderam para o Quenyano.

Enfim pessoal, espero ter transmitido um pouco sobre o mundo da corrida para vocês. Ter escrito esses parágrafos me fez pensar qual seria a principal razão de eu correr e isso é bem simples: corro pelo prazer e saúde, pelo estilo de vida que isso envolve, e pelo sentimento intenso de estar vivo. Foram essas mesmas características que me fizeram me apaixonar pela escalada. As vezes vejo algum velhinho correndo e isso me enche de admiração, me faz ter certeza que estou em um caminho legal e que essa riqueza é algo que todos deveriam conhecer. Bora correr, galera!

O lendário Dan Osman fazendo uma via em Speed Climbing – quase que uma escalada “correndo”.

Uma semana típica de treinos de Sasha DiGiulian

“Escalo cerca de 5 dias por semana durante 2-3 horas, variando o treino cerca de 4 dias por semana com uma hora de cardio (corrida). Na cidade, andar de bicicleta é o meu principal meio de transporte quando o clima está bom  – dessa maneira eu posso fazer um treino muito variado! Eu também faço treino de abdominal, cerca de 4-5 dias por semana, e um treinamento complexo com meu treinador, Alexi Thomakos, que envolve exercícios de resistência/peso corporal e pesos leves (incluindo flexões, campus board e atividades com bola).”

Fontes:

http://www2.uol.com.br/vyaestelar/cerebroecorpo_endorfinas.htm

http://www.rockandice.com/lates-news/striking-the-balance

http://www.reddit.com/r/climbing/comments/25yhtz/im_sasha_digiulian_ask_me_anything/

http://cruxcrush.com/2013/05/17/climbing-running/

Cleber Harrison é escalador, corredor e nas horas vagas interpreta John Lennon na mundialmente famosa banda "The Beetles One" (melhor que o original, diga-se de passagem)

Cleber Harrison é escalador, corredor e nas horas vagas interpreta John Lennon na mundialmente famosa banda “The Beetles One” (melhor que o original, diga-se de passagem)

Aberta a temporada de escalada na Invernada

A foto decorativa de hj é pra compensar a maudade que faço com a Sasha no final do post hehe

A foto decorativa de hj é pra compensar a maudade que faço com a Sasha no final do post hehe

Chegou fim de semana todos querem diversão
Só alegria nós estamos no verão, até Janeiro
São Carlos, Invernada
Todo mundo a vontade calor, muita chuva
Eu quero aproveitar o finde
Encontrar os camaradas para aquele Climbe
Não pega nada
Estou a meia hora da minha quebrada
Logo mais, quer ver todos guiar

Pois é, vem chegando o verão… E com ele as chuvas. E com elas, a temporada de escalada na Invernada! Chega a hora de aquecer na Caixa de fósforo, equipar a Barranco noveá pra galera, reclamar das abelhas e ficar especulando que o caixo ta menor, que elas tao diminuindo e torcer pra elas vazarem… Todo ano é igual hehehe Aí a gente entra na Colômbia, emenda na Narcotráfico, depois equipa a Sexo, Sangue, Suor, Lágrimas e Gritaria. E fazemos aquela rodinha em volta do Beto para tentar em vão convencê-lo a chapeletarmos a Fenda de Éris pra termos mais uma via pra escalar, aquela fenda podre e farelenta que ele insiste em não conquistar, e que após 14m de fenda a via toca mais 16m até a base sem proteção nenhuma, igual Hard Grit, só que com uma fenda podre e farelenta no começo, e que ninguém (nem ele) entra. E aí ficamos sendo observados pelos tiozinhos já mais que alegres que foram almoçar no restaurante, dizendo que quando era novo (e com 50kg a menos) subia aqueles morro tudo lá, e sem corda!  As madame segurando seus filhos pelo braço como se a criança tivesse saído da cadeira de rodas pela primeira vez, e as meninas olham as escaladoras como se elas fossem de uma outra raça, e nós ficamos nos sentindo num zoológico, observados. E claro, como não poderia deixar de ser, sempre tem aquele esperto grande e profundo conhecedor da causa, que lá de longe já vem bradando com o peito cheio: Ó OS CARA FAZENDO RAPEL! Aí é a hora de respirar fundo e entoar um mantra: São Gulich, perdoa-os, pois eles não sabem o que dizem…

E é isso aí, fim de semana dependendo de como estiver o tempo estaremos lá. Temos projetos de cadenas, projeto de abertura de vias, de plaquinha pra por no pico pedindo encarecidamente que não escrevam a porra do nome na rocha, e uma recompensa pra quem quiser ir lá tirar os caixos de abelhas, que deve ter uns 2mx1mx0,5m de tamanho cada um. Alguém se habilita?

Esse mês eu melhorei a parada da Peru Express, que é a única via de quinto grau do pico (depois só a barranco que é 6sup mas é em móvel). Eu faria mais melhorias mas o Beto não deixa, então por enquanto vamos lutando pra deixar o pico Classe A 🙂

Adicionei uma chapa com corrente e mosquetão, já que a da direita estava girando em falso (mas nao sai!)

Adicionei uma chapa com corrente e mosquetão, já que a da direita estava girando em falso (mas nao sai!)

E no último finde entramos na Sexo e na segunda parte da Barranco, que são minhas vias preferidas no pico! Tem algumas fotos da Isa na Sexo, Sangue Suor Lágrimas e Gritaria, e deixo junto com os vídeos, um da segunda parte da Barranco, por este que vos fala. Aliás, vou aproveitar e colocar um também da Narcotráfico, já que o assunto é invernada.

Segunda parte da Barranco noveá, um 7b/c lindo, negativo de agarrão 🙂

E um dos meus vídeos preferidos: a Narcotráfico:

Tá, e já que eu comecei, vídeos!

Começando com um que me decepcionou muito. Todo mundo ficou Ó! Que legal! Que maravilha, mas tipo, só mostrou a galera gringa escalando no Brasil, e passou a impressão que a escalada aqui é no meio das bromélias e dos gravatás. E todo mundo sabe que A Daila, a Colete e a Samanta foram pro Cipó e escalaram num dos melhores lugares do Brasil, e isso nem aparece no vídeo! Que triste! :/ Deu uma leve impressão que elas tavam fazendo caridade levando a yoga pra quem nunca teve oportunidade de conhecer.. Eu sei que não foi isso, mas o vídeo passa essa impressão! Bom, mas vou parar por aqui pq tbm não quero fazer um review oficial de um vídeo de 5minutos hehehe

E essa semana tivemos a quarta mulher a mandar um 9a Fr (11c BR). Sim! Antes de Muriel Sarkany apenas Josune Bereziartu, Alizee Dufraisse e a polemica Charlotte Duriff. Sasha não conta pq a via dela (Pure imagination) foi rebaixada pra 8c+ quando foi mandada a vista pelo Adam Ondra. A Muriel foi tipo 5x campeã do mundo na década de 2000 e agora na flor da idade, está em sua melhor fase! Confiram esse vídeo dela malhando OUTRA via, deve ser tipo um 11b ou 11a.. ta bom né?! hehehe

E já que é só de mulherada que eu posto vídeo, que tal um 10b de praticamente 20m de teto nos EUA? Via pra Fabi malhar, a menina sem peso com resistencia infinita né?

Ta, mas vamos androgenizar um pouco, com duas vias fortes no Brasil, por escaladores Brasileiros. Primeiro a Evolução das Espécies na Falésia dos Olhos em São Bento. (É, eu chamo lá de São Bento mesmo hahaha).

E o Segundo o FA da via Kriptonita por um dos escaladores mais fortes que temos, Jean Ouriques. Detalhe para a música, que tava demorando muito pra sair em algum vídeo de escalada. Acho que tava todo mundo com medo do Clichê de que todo mundo ia usar pq era muito óbvio que se a Petzl lançasse uma trilha sonora ia ser viral, mas nao foi o que aconteceu, e ficou muito legal no vídeo! E uma outra coisa a se notar: PORQUE é tão importante colocar as costuras para o lado certo na chapa e em relação ao lado para onde se vai escalar. No último minuto do vídeo, a ultima costura da via “desclipa” o sling do mosquetão reto (Vacou a costura!).  Fica a dica 🙂

E é isso! Deu por hoje, vou bolar uma charada bem dificil pq o Zé já ta me zuando que as que eu coloco ele acha mto fácil (mas ninguem mais acerta) hehehe