Semana cheia de vídeos

Garota aleatória da postagem de hoje guiando em móvel :)

Garota aleatória da postagem de hoje guiando em móvel 🙂

Pois é, nem precisava, mas saiu tanto video legal essa semana que tava fácil fazer um post hoje!

Começando com Muriel Sarkany, que foi a terceira mulher a mandar um 9a Francês (11c Br) atrás de Josune Bereziartu e Charlote Duriff!

Esse vídeo é muito bem feito, do escalador americano abrindo uma via na Espanha, um 8c Fr se não me engano. Mostra todo o trampo de abrir a via, limpar, ver se ficou segura, coisa que tem gente que não faz quando abre via de qualquer jeito por aí.

O Vídeo da semana foi do Adam Ondra mandando a vista seu segundo e mais difícil 9a (11cBR) a vista. É, a mina se torna a terceira a mandar esse grau, e o lazarento vai e manda a vista. Só da pra assistir direto no site dos féla, então clica aqui.

E a Mammut resolveu prestar uma homenagem aos escaladores das antigas mandando seus patrocinados reescalar vias que marcaram época. Começando com a via Hayaena, e depois Action Direct, o primeiro 11c do mundo. Saca os moves de MONODEDO E BIDEDO quase no teto, e a montê. (Não é a toa que o primeiro que mandou essa via INVENTOU o Campus Board).

E esse ano a PETZL vai inovar e fazer um evento Petzl Roctrip itinerante passando por 5 países durante mais de um mês. Veja o vídeo. Uma pena que no Brasil a marca esteja tão mau representada. 😦 Os atletas Brasileiros patrocinados PETZL que o digam.

E tinha separado esse aqui a miiiil anos pra postar aqui, de um evento chamado Adidas RockStars.. será que ja rolou por aqui?

E um último, antigo, pra acabar, pq escalada na Espanha nunca sai de moda!

http://vimeo.com/28063837

(Chato pacaralho não deixou embebedar esse também!!)

 

 

Feliz 2014!

A foto tema de hoje é em homenagem a meu amigo escalador de rodapé Shimoto

A foto tema de hoje é em homenagem a meu amigo escalador de rodapé Shimoto

E como prometido, com uma semana de atraso o post duplo da semana passada. Separei uns vídeos muito legais pra vocês curtirem nesse fim de ano. É pra torturar mesmo aquelas pessoas que ficam esperando as férias pra ir treinar, depois reclamam que queriam ter ido viajar mas não estavam em forma… TOMA! Treinar é todo dia. É uma colher de arroz a menos no prato, é sair do trabalho e ir pra parede fazer travessias, guiar vias, fazer finger, etc… É ir atrás da sua lesão pra ela sarar mais rápido e não ficar esperando que ela sare sozinha. É mudar seu estilo de vida pra que treinar, escalar e viajar (e viajar pra escalar obviamente) seja tão natural quanto ir ao cinema (coisa que esse ano não fiz ainda). É aquela duvida eterna: É você que está levando o cachorro pra passear, ou é o cachorro que passeia o dono, fazendo ele sair de casa, da frente da televisão? Enfim, divagações a parte, vamos aos videos conforme prometido.

Começando com esse vídeo português sensacional. Acho que o melhor de Dezembro e um dos melhores do ano. É a busca de um português pelo seu primeiro 11c (9aFr). E o melhor é que é nas terras dos vídeos gringos do Chris Sharma, e em português. Muito bom, esperamos mais produções nesse sentido. [SPOILER ALERT] Detalhe para no finalzinho, quando ele passa o crux, ta na cadena, falta uma agarra pra clipar a base, ele ta em dois regletinhos e AS DUAS MÃOS escorregam ao mesmo tempo e  ele consegue pegar o agarrão e clipar.. a mão suou, o cu piscou e deu até um frio na barriga.. Muito bom o vídeo

O proximo vídeo me faz pensar porque eu não curto tanto boulder ou vídeos de boulder. Cheio daqueles muleques com boné de aba reta, criados no leite com pera, com 1% de gordura no corpo e “Ape index” infinito mandando os v15. Bem, pois neste vídeo um cara que eu pago um pau que é o Killian Fischubber, seguidamente campeão de escalada (e de boulder as vezes também) por vários anos seguidos, namorido da Anna Stohr aparece fazendo boulder num lugar muito massa, com vários blocos muito bonitos e legais, (e não no farelo tirando leite de pedra).

E aqui vai minha alfinetada para aqueles que pararam de escalar por causa da patroa. Primeiramente meus parabéns a você que escala e à seu companheir@ que não escala, por conviverem tão harmoniosamente numa protocooperação. Melhor que isso só mesmo o mutualismo de um casal escalador 🙂 Como estes desse filme. Os já famosos por aqui James Pearson e Caroline Ciavaldini numa produção do Brasileiro Francisco Taranto Jr.! São eles no festival de Kalymnos, na grécia. Durante o evento o James faz uma surpresa pra Caroline, e eles se casam! Detalhe pra coragem dele de casar de usar um terno branco. Ornou porque a noiva casa de preto! Já viu isso? Sem contar que o vídeo é mais sobre os dois que sobre o evento (podia ter aparecido mais a Nina Caprez). Reparem que a Caroline ta usando a que eu considero uma das melhores cadeirinhas do mundo na atualidade, que é a Atmosphere da Edelrid, que é confortável pra caramba, ao mesmo tempo que é respirável! Quem sabe em breve né?

Já que estamos falando de festivais, segue um da La Sportiva. Na Sardenha, de boulder. Parece um lugar com muito bloco, pra você escolher seu estilo, tipo Conceição do Mato Dentro. Como é de boulder, ce tâ ligado….

E voltando a falar de escalada, esse vídeo me deixou empolgadíssimo. Apesar da tremedeira, o vídeo ficou bem legal e não vejo a hora de ver o oficial. É sobre a escalada nas Blue Mountains, na Austrália, lugar tão presente nas fotografias do Simon Carter.

E pra encerrar um muito simples. Um vídeo de escalada à moda antiga: Só o cara escalando, sem muito fru-fru. Espanhol mandando 11a Br numa falésia chamada Valdecabras (seria o pico das cabras, vulgo sheeppeak , da espanha? hahaha). Boa filmagem, boa edição.

Muito bem! Chega por hoje. Agora postagem só ano que vem! Ou não né, vai saber. Enfim, todo mundo merece um descansozinho né não?! 😀

Beijos a tod@s, viagem bastante, curtam os feriados, saiam, vivam a vida, sejam felizes, sintam emoções, sejam honestos consigo mesmos e não abusem muito da comida e da bebida! Feliz 2014 a tod@s  os leitores! Luv´ya all, bitches! hahaha

Perfis…

Deveria colocar uma foto da via "Perfil de amiga" em Igatu, isso sim. Mas por motivos óbvios, essa foto ganhou hehehe

Deveria colocar uma foto da via “Perfil de amiga” em Igatu, isso sim. Mas por motivos óbvios, essa foto ganhou hehehe

Hoje farei um post breve. Apenas alguns vídeos que coincidentemente sairam nas ultimas semanas sobre personalidades do mundo da escalada. Salvei vários vídeos, mas estes estão muito legais e realmente foi uma coincidência muito grande estes terem saído sobre pessoas, mais do que sobre vias, ao mesmo tempo.

Esse primeiro está simplesmente alucinante, sobre o Ramonet. Eu já achei que fosse esses vídeos que algum amador fez com o celular e depois deu uma editadinha. Ledo Engano, está animal. Não fala muito sobre o Ramonet em si, mas é dele que eu sempre falo quando algum baixinh@ vem me falar “Mas eu não tenho altura pra escalar”. Eu sempre respondo: O Cara que foi mais vezes campeão mundial nos ultimos anos tem menos de 1,55m. Qual sua desculpa? Aí a pessoa inventa alguma outra esfarrapada ali na hora. É triste (só pra pessoa). Mas o vídeo é sensacional! BigUp fica pra trás!

Já esse é sobre outro espanhol, desta vez a Canária Daila, que mostra um pouco de sua terra (as ilhas canárias, obviamente).

E este sobre a Beth Rodden, aquela mina esquisitinha que pegava o Tommy Caldwell lá pra meados de dois mil e qualquer coisa (oito?). Eles largaram e ela esteve mais lesionada que eu, só que do ombro. Parou mas a lesao voltou 2x aí ela entrou na faca e ao que tudo indica parece que ela está voltando à ativa. Tomara que ela possa ficar forte outra vez! Ela é a mina que escalou a via em móvel mais Hard do mundo, a Meltdown em Yosemite, foi capa da climbing, (eu até tenho essa revista!) recebeu o mesmo destaque em sua época que Sasha Digiulian ou a Nina Caprez hj em dia…

E depois de mandar a via mais foda do mundo – um 12c: vc consegue imaginar o que é um décimo grau? Imagina um 12c. Agora, imagina isso duas vezes (The change em novembro e La dura dura em Fevereiro). Bem, depois disso o menino prodígio deu uma sumida. Mas esse vídeo retoma algumas cadenas esquecidas de 9a’s Francês (11c) mandadas por ele que nem mereceram menção no vídeo sobre sua vida lançado ano passado (The wizard’s apprentice). Não é lá tao biográfico, mas mostra sua vida, o meninão fazendo lição de casa e tudo, é interessante.

E já que o assunto é lesão, parece que ta todo mundo lesionado, ta loco! Eu, mais ou menos desde 2005 to nessa lenga lenga de lesão, cada vez num dedo diferente, já não sei mais o que fazer, e a galera vira e mexe aparece alguem com alguma coisa doendo. Acho que esses arenitos nossos aqui são extremamente machuquentos, ta loco! Para o caso de alguém lesionar alguma parte que não usa na escalada (AKA membros inferiores) e ainda puder usar os braços, fica aqui uma dica de treino muito boa! Fiquei com uma invejinha do treinador, mas assim, só pq realmente eu não posso fazer o treino já que minhas lesões são sempre em uma das mãos.

Este aqui é um Si ne Qua non de 2013 uma verdadeira pintura com a Nina Caprez (sua linda) e o J. Siegrist, um dos poucos escaladores assim que eu sou fã mesmo. Ambos escalando no berço da escalada esportiva, o Gorges du Verdon, na França. A frança e a espanha sim é que são dois países abençoados por deus e bonitos por natureza…hmpff……

E já que estamos falando de Nina Caprez, que tal ela agora em CUBA? Um filminho (tá, só o trailer) no melhor estilo Baraka filmes – a produtora do Silbergeier e do Tuzgle, ambos com ela – com muita música e humor.

E chega por hoje , vou tentar não demorar tanto a postar o próximo post!

UPDATE:

Caramba! Esqueci de colocar a entrevista do Adam Ondra, que se encaixa certinho neste post “Perfil”

De volta com novidades: É 5.10, é Beal, é vídeo… Confira!

Fotinho lúdica para decorar o post cheio de vídeos :)

Fotinho lúdica para decorar o post cheio de vídeos 🙂

Ó, nem vem falar que faz 2 semanas que eu não posto nada no blog pq nesse meio tempo foram 3 posts no blog do CUME. Lá eu pus uns “Vidinhos” pra galera que ta começando, a divulgação da SACU – Leia-se: monitoria todo dia essa semana, que não rolou direito por causa da chuva – e as inscrições para a Oficina de escalada do CUME. Mas isso eu ainda tive que fazer rapidinho porque está sendo um frissom com a nova leva de sapatilhas da 5.1o que chegaram na Quero Escalar!! Não obstante, também recebi uma leva de cordas da beal aqui e tudo tem sido uma correria. Tudo começou quando, depois de uma série de decisões, sentei pra terminar o croqui do cuscuzeiro. Trabalhei intensamente por 2 dias sem comer nem beber água muito menos ir ao banheiro e no terceiro dia tive uma reviravolta (os fatos citados acima) e agora eu não consigo tempo pra sentar e dar continuidade aos trabalhos. Mas eu Não reclamo não, é bom sentir-se produtivo. Fiz até um protótipo de cartão da Quero Escalar que preciso mandar pra gráfica, vai ficar lindo de ver! 🙂

Agora só falta eu poder voltar a escalar de verdade (que não aguento mais quinto grau, as mesmas vias de quinto e sexto grau que se somadas não deve dar umas 10 aqui na região, não sei como tem gente que não enjoa, toma vergonha na cara e vai treinar pra fazer mais vias mais difíceis) e pronto, vai estar faltando só uma coisa – ou melhor, pessoa – pra ficar tudo “ótemo”.

E chega de Bla-blá-blá que apesar da semana passada ter sido meio morna de vídeos, essa ta da hora!

Começando com esse, da grande blogueira Marieta Cartró, que manda décimo grau tanto com as palavras num humor afiado e inteligente, quanto na escalada. Aqui ela aparece malhando um 10b (ou c – não lembro que vi o vídeo semana passada) e dando entrevista, falando como começou a escalar, mostrando seu quintal, Montserrat, na Espanha. Depois não sabe pq tem tanto espanhol que escala…

Seguindo a linha de quintal de casa, vamos para o nosso. Ta certo que ta mais para quintal do vizinho (onde a grama é sempre mais verde). Você não pode perder as aventuras dessa galerinha que vai aprontar altas confusões a bordo de uma Kombi do barulho! Mas como não estamos na sessão da tarde, esse é um vídeo de um rolê que uma galera fez pela américa do sul de kombi, mas pra escalar de verdade, nada de ficar fazendo caminhadinha pros topos dos morros… Terminando o rolê no Petzl RocTrip. Vídeo muito bem feito, editado, com belas imagens, de escalada, de lugares, enfim…

E já que o assunto é pedra parada en AR-RENTINA, segue um vídeo do Enzo Oddo àvistando um 10b. Curtinho para os padrões do pico…

Uma pessoa que eu conheci na Piedra Parada Estrela o próximo vídeo. voltando para as terras Tupiniquins, quem gosta da cave de São Carlos, vai adorar essa via, que pra quem for pra Itatim, é um Si-ne-qua-non! Vídeo da Bianca Castro, que apesar de não ser escaladora (ela só faz boulder), resolveu arriscar colocar uma cordinha e fazer os FFA das vias lá pras bandas da Bahia.

Bianca, é brincadeira o negócio de não ser escaladora tá? 😉

E voltando pra espanha, este vídeo ganhou destaque porque o cara (Magnus Mitb0e) desce de um 11c/12a (9a/+) e fala: …”Ói que beleza! 9a+ sem estar tijolado!? Ta bom né?”... PUTO. Mas o que mais chama atenção é o momento TOC (transtorno obsessivo compulsivo) nos minutos 3:10 e 3:30). Eu vou dar uma de Spoiler porque eu sei que muita gente não vai nem se ligar, mas, MEOOOOOO…… Irrita mooooooito quando fulano coloca as costuras de ponta cabeça na chapa!! Que fodaaaaa…… da vontade solar a via e ir lá trocar. Costura só tem dois jeitos de usar: Virada pra direita ou pra esquerda; e mesmo assim depende de pra onde a via vai. O Mosquetão de cima é reto e o debaixo é curvo, e o curvo é preso por uma borrachinha normalmente e o de cima não, e tudo por uma razão: segurança, não é estética não. (se bem que pra mim é uma questão de o mundo poder acabar se ela é colocada assim, igual quando você pisa na divisória das cores da calçada). Enfim, já está na manga um post explicando porquê tudo isso. Sem mais delongas, convosco, o famigerado vídeo;

Só que eu não vou ficar sofrendo de TOC sozinho aqui, agravando meu Bruxismo diurno. Tem um cara mais TOC’eiro que eu, (Mais não, é só mais impulsivo com os poucos TOC’s dele) e eu vou ser bem filhadaputa e colocar esse vídeo pra ele surtar e ter uma taquicardia, quando ele ver o cara do vídeo mandando o “First Ascent” da via, que é em móvel, COM AS PEÇAS POSTAAAASSS…(agora imagina o seu madruga arrancando o chapéu e pisando em cima quando toma bofetada da dona florinda… mais ou menos essa a reação)… E aí Mister Praquê?! Pra quanto foi a pressão agora?! hahahhaa Ah, detalhe que o cara no vídeo também escala em solitário com uma minitraxion..

E agora que a cagada está feita, vai um vídeo para compensar a namorada da pessoa que eu citei no parágrafo anterior que deve estar ali acalmando-o, coloco então um vídeo instrutivo da Steph Davis, ensinando como esparadrapar suas mãos para escalar as fendas perfeitas do deserto de Utah.

E se você achou que no final ia pelo menos aparecer ela escalando de fato… (sim aparece, mas pouquinho), fique com essa via que foi capa da Climbing desse mês, Glad to Be trad, uma fendona incrível de nono grau no mesmo pico.

Bom, e agora deu de vídeos pra mais uma semana né?! Bem, veremos 😉

Vídeos de escalada para todos os gostos

Andrea Cartas é tipo a Janine Cardoso na espanha ;)

Andrea Cartas é tipo a Janine Cardoso na espanha 😉

Bom, vou colocar rapidinho uns vídeos que eu estou acumulando aqui ha alguns dias, todo mundo gosta dos videos, das fotos, então ninguém vai sentir falta do gerador aleatório de blá-blá-blá do Genja hehehe  E preciso por estes vídeos porque ja estamos todos comentando sobre eles, e se vc não os viu, e provavelmente não os viu porque foi escalar no carnaval e não ficou no computador Twitando ou foi pq Bebeste. Anyway, se vc nao viu vai ficar boiando…

E já que viemos em ritmo de (festa, ma oee) carnaval, um vídeo bem fanfarroneado de um polonês escalando na Espanha e mandando tutooo um 8c+ em Oliana, a nova falésia da moda esportiva mundial.  LE PONN PUCHEEEEEEEE

E só porque eu sou fã dos italianos, vai esse de boulder: Christian Core, um dos escaladores boulderistas mais fortes do mundo malhando o que pode vir a ser o primeiro V17 do mundo, um 9A de boulder. Patrocinado pela melhor marca de sapatilhas da face da terra: SCARPA! A-d-o-r-o! (Né Ives?)

E falando em Scarpa, vai aí um videozinho curto de uma dessas feiras de artigos outdoor que tem realmente artigos outdoor e não bolsas Louis Vutton camufladas para o público “madame-paulistana-que-vai-ao-sítio-em-Atibaia-na-semana-santa”. Mas O Foco do vídeo é o cara da Scarpa falando sobre a a linha Instinct, que eu tanto adoro, e sobre o novo lançamento da nova Instinct de Velcro. (SHUT UP AND TAKE MY MONEY)

Bom, e se você voltou do carnaval animado pra treinar,(se não procure um psicólogo) vai aí um vídeo de treino bem legal do Sean MColl mostrando como esmirilhar seus tendões em apenas uma sessão de treino 😉

[update] Tava esquecendo do vídeo da Andrea Cartas, que mandou seu segundo 8c (11a Br) na espanha recentemente. Neste vídeo aparece ela mandando o primeiro, White Zombie, na gruta de Baltzola, no país Basco. Tem o da segunda cadena tbm por aí, mas nao ta la grandes coisas entao nem salvei.

Todo mundo sabe que eu pago maior pau pro Cedar Wright. E nem é porque ele escala tudo isso não, é mais porque ele faz as coisas muito bem feitas (música, vídeos, edições, e até mesmo algumas escaladas). É um cara bem “multifacetado” do tipo que lava, passa, cozinha, lava louça e ainda põe o lixo na rua hehehehe Vídeos dele são na maioria das vezes sinônimo de coisa nova. Destaque para o cachorro giroletando no ar em Slowmotion (acho que a melhor parte do video hehe)

E se você vai fazer um vídeo de boulder, que já é chato, que tal usar a criatividade pra fazer uma coisa grandiosa? Mano, olha que legal o que esse casal conseguiu fazer com poucos minutos de cenas de boulder (também, qualquer vídeo de boulder com mais que isso é bom pra por as crianças na cama). Destaque para o casal Instinct, ela de Sliper e ele de Laces. Please Scarpa, send me the new Instinct VS to try and say good things about it! Grazzie! Detalhe também para o momento igual daquela via de itaqueri entre a motor de lancha e a sinos do barão. (Só os fortes entenderão)

Na sequência, um excelente vídeo Brasileiro que superou minhas expectativas: NO ROPES NO BOLTS. Do Felipe Dallorto e da Flavia dos Anjos. Muito legal a produção, peca um pouco pela falta de FullHD (só esta em 460 no youtoba). Mas o vídeo é legal e prende bem a atenção, os 40 minutos passam rapidão. Fizeram um video muito legal com não tanta escalada assim, aproveitaram do lugar, da historia, das vias, dos locais, ou seja, tudo muito bem encaixado. Legal! Só a parte que eles vão para o GRIT-ISHHTONE no meio que ficou estranho, pois eu esperava que ia ser metade metade, mas quando o filme volta a mostrar Mallorca eles entretêm tanto que nem dá nada!

E no final mas não por último: este vídeo sobre uns russos que vão fazer um bigwall pela primeira vez em yosemite. É interessante de ver os perestroikas treinando com shortinho da copa de 70 em Utah e depois fazendo dedicatoria pra namorada… é outro jeito de ver nossa mesma escalada 🙂

Agora sim, pra finalizar, não podia faltar a alfinetada do dia. O vídeo que TODO BRASILEIRO DEVE VER: Muito Além do peso. Mostrando o lado GORDO da moeda dos alimentos gordurosos e cheios de açucar. Mostra a determinação das crianças em querer emagrecer – em alguns casos – ou de fazer birra e os tontos dos pais darem tudo que ela quer até ela explodir de gorda. É o que eu sempre falo, o problema não é a pessoa ser gorda, o problema é ela comer que nem uma filha da puta pra curar a ansiedade, e depois não fazer exercicio, nem um esporte, e reclamar que a vida é injusta. Um atenuante é que ninguém é obrigado a saber que essas merdas tão gostosas que a gente come fazem tão mal, faz parte da cultura de um povo a questão da cultura alimentar, e no nosso país estamos perdendo isso: Tanto por pais que dão tudo o que os filhos querem e tem preguiça de cozinhar e fazer comida de verdade, quanto da propaganda que vende essas porcarias como se fossem obrigatórias para vc ser uma pessoa normal, iludindo quem não tem senso crítico suficiente para poder discernir entre o que é bom realmente e o que é veneno que ela está ingerindo. Lamentável! Depois vai escalar não sai do chão não sabe porquê?!

É um documentário de mais de 1h, então põe aí nos favoritos e assista amanhã a noite quando você chegar em casa E come um miojo com nuggets

Bom, e chega por hoje pois apesar de eu ter sido sucinto, tem video pacarai. Bom finde, e até a semana com a segunda parte do Artigo sobre móveis! Dessa vez falando sobre cadeiras de balanço e criados mudos. kkkkkkk

Negativos de agarrão (Ô lá em casa hein?) + Charada

Que escalar no frio é melhor todo mundo sabe. Melhora o grip da sapatilha, vc não sente a ponta dos dedos e aperta melhor os regletes, tudo é lindo. Mas quando vc começa a não sentir a mão inteira, nem o que está tocando é sinal que tem alguma coisa errada! Agora que o frio ta chegando realmente ta dando pra ver o quanto eles sofrem com o inverno. Pra começar ta escurecendo seis da tarde já, e pra piorar eles ainda me inventam o horário de inverno, que adiantamos o relógio uma hora, ou seja, era pra ter sol até as 7. E sem contar que agora no outon ta frio, tempinho chuvoso, ta foda. Ficamos vendo a meteorologia todos os dias, que, como todos sabem, muda a cada meia hora a previsão para os próximos dias. sábado dia 5 fomos pra Patones (que é um afloramento de calcário predominantemente negativo de agarrão, onde predominam os sextos franceses (de quinto sup a 7c BR) ou seja, não poderia ser melhor, no meio de todo o granito da serra madrileña). Estava um vento e um frio que nem o mais viciado poderia ter aguentado tanto.

Nachete tentando aquecer...

Nacho bailando con la roca!

Martuky já se vendo livre do mal do top rope...

Se o objetivo era aquecer nesta via... ele não foi alcançado, tamanho o frio que estava!!

E aí eu tentando aquecer, segunda via e ultima do dia...

Ai como eu adoro os negativos de agarrão...

Sorte ou revés: Você não sente as pontas dos dedos, como vc sabe que o que vc está segurando é uma agarra boa? Resposta: Porque eu não caí ainda!

Quando desci dessa via, senti uma dor tão forte, que eu nunca tinha sentido na vida. Como se milhares de agulhas estivessem furando minhas mãos de dentro para fora, foi horrível! E a dor não parava!  Escalamos duas vias e fomos por umas cañas. Quando chegamos em madrid o clima tava mais ameno (maomeno kkkk) e fizemos um pouco de força nos boulders da complutense por uma horinha, até que começou a chover }:(

No dia seguinte resolvemos voltar ao melhor granito dos arredores de madrid: SEM ADERÊNCIA, com agarrência em alguns casos, mas com a predominância de agarras, San Martin de Valdeiglesias cada vez me encanta mais!

Predominância de vias com agarras em granito, muitos pés, regletes bons... adoro!

No domingo a gente foi pra lá, e deu pra escalar horrores. É uma escola em que as vias possuem sempre muitos pés bons, inclinação moderada a vertical, visual bacana… depois de aquecer desci equipando uma via ao lado, um 6c+ fr (7b br) que era daquelas tipo eliminatórias (coisa que eu sou totalmente contra): NÃO VALE usar a parede da direita ou NÃO VALE a aresta… Não vale é coisa de academia, na rocha se vc costura todas as chapas e não sai da linha da via, vale tudo! Na primeira vez eu fiz sem saber disso, e usei um pé e algumas mãos na aresta da direta. A via ficou tipo um sexto grau. Aí refiz reto pelos regletinhos, aí sim poooode ser que fosse um 7b br mesmo, anyway, muito legal. Depois fiz uma fenda de 6c (7aBR) bem fortinha mas muito legal, ótima! Se chama La serpiente =) A marta guiou um 6a+ que terminava na mesma parada e deu um pega na fenda… sofreu um pouco mas chegou no final =)  Desceu e por coincidencia o top ficou armado na via entre as duas, um 7a plaquero de matar… Como as mãos ainda estavam fechando, resolvi dar um pega. Isolando agarras ela é um 8b, se não, um 7c… tentei o 8b e ficou BEEEM HARD.. mas o 7c deu pra tirar bem os moves! Com isso fico com um projeto em cada falésia pra poder estar voltando com ganas de subir o grau e fazer uma forcinha! =)

Na terça fomos na complutense pela manhã fazer força nos boulders, e a Marta fez um treino de vacas, tomando milhoes delas, muitas das quais eu nunca tive coragem de tomar na Caixa d’água, com a costura embaixo do pé! Lugar perfeito para treinar quedas pq a parede era levemente inclinada.

Na quarta foi feriado, voltamos pra San Martin, mas foi foda pq depois de aquecer em dois sextinhos começou a chover e miou o climb…

E no sábado… tcharaaannn…. Fomos pra Patones de novo. Aqueci num diedrinho de 6a tipo a Irish, só que mais fácil, e inteira chapeletada… eu não ia perder a oportunidade =) A marta com o tomelirrolímetro la em cima já entrou guiando e só não mandou pq o pé resvalou num lance de diedro e ela caiu um pouco… várias vezes.. tudo bem, as vezes os diedros podem ser bem complicados =)

Na sequencia tinha uns amigos nossos ali ao lado, e entramos em um 6b e um 6c (7a Br) que mandei a vista. Lindas vias, como quase todas de patones: Negativas de agarrão com crux na saída. Adoro! Deixei a segunda costurada pra marta e ela já atrevida entrou guiando e se tivesse visto um agarrão invertido super camuflado no teto teria passado o crux de primeira! Guiou a via toda, tomou outra vaca, sofreu em alguns momentos, mas o que importa é que ela tava guiando um 6b, enfrentando seu medinho e escalando como se tem que escalar de verdade: Na ponta da corda =)

O dia já teria sido perfeito por essas vias, e pela atitude da marta frente as duas vias, mas ainda tava com o romelirrolímetro a milhão pra ir no setor púrpura tentar a cândida palidez, aquele 7c (7aFr) de 30m que eu tinha entrado outro dia. Pelo adiantado da hora achei mais prudente entrar no 7a (6c Fr) ao lado só pra cumprir tabela, fazer força num tetinho, já que a via era mais curta, e eu não tinha as 15 costuras que a via ao lado exigia… O foda foi que eu entrei na via errada, e acabei guiando um 6c+ (7b Br) e caí no “a vista” indo prum regletinho que não existia! Perdi a cadena mas ganhei mais um projeto muito bom no setor, negativo com teto, de agarrão mas com bidedo no crux =D Na sequência o Nacho, aniversariante do dia, entrou e mandou seu primeiro 6c+ a vista! AAAA MULEKEEEE!! Ele só não escala mais pq não cola com a galera da pressão, ta sempre com os nego newba ou que estão começando agora a mandar 6sup/7a. Maldito magro. |:/ (ENHORABUENA!)

Observe a inclinação da via.. a camisa até sobra.. tetos de agarrão... ÔÔÔÔ LÁ EM CASA HEIN?!

Me divertindo horrores nas vias de Patones...

Essa eu vou imprimir e fazer um quadro!

De um bidedo fundo no teto para um abaolado com agarrão no fundo... que buena!

Um pouco repetitivas as fotos? Eu não me canso!

Pescaíto frito 6c+

Patones ao Entardecer, numa tarde de Outono.

No domingo não rolou climb pq era aniversário do Nacho, então fizemos uma caminhadinha geriátrica pela serra, mas tudo bem pq rolou muita comida e o visual até que não era ruim não 😉

E para finalizar, vou colocar uma charada super fácil, e semana que vem vou tentar ter resolvida a charada megalomaníaca do Gui…

Se eu respirar em pensar uma dica alguém acerta!

Esta vai ser para ver quem entra no blog primeiro, não para quem acerta, pois é muito fácil. Sorte!

Rodellar, a Itaqueri Espanhola!

Saindo de férias das férias... mais férias?

(antes de iniciar a leitura, no final tem o link para os croquis de rodellar, caso esteja procurando ok?)

Olá a todos! Quanto tempo não é mesmo? Vocês devem estar se perguntando por onde anda o genja que não escreve mais… de duas uma: ou arranjou um emprego e ta se matando de trabalhar… ou ta escalando pra caramba. Mas claaaaro que é a segunda opção! =D

Depois que a marta terminou finalmente e defendeu seu DEA (leia-se: mestrado), resolvemos tirar uma semaninha de férias, já que ela não tinha tirado nenhum dia de férias esse ano. O máximo foi nossa viagem pra Margalef em maio, mas o auge do verão e das férias ela passou em frente do computador enrolando escrevendo. No dia de sua defesa a gente já começou, mas fazendo turismo geriátrico por uma cidade chamada Segóvia, que tem uns arcos Romanos milenares e talz… boniiiito…

Posando na frente dos Aquedutos Romanos

Visitamos um castelo nos arredores com um mega power Jardim com várias fontes sob temática mitológica grega. Ok, turismo geriátrico 1x por semestre até que é legal ;P

Essa aí é a casa que estamos morando... Foda é limpar todo domingo!

Destaque para o Cordeiro que comemos na cidade…

Ok, o lado bom do turismo geriátrico... =)

Mas como estávamos livres podendo tirar umas férias de verdade, e como ela havia percebido que eu já tinha saudades de escalar em Itaqueri, então resolveu me levar no mais próximo que tem por aqui de itaqueri: Um singelo lugar chamado Rodellar. O lugar é muito massa, a graduação é meio dura (tipo, parece que de quinto a sexto é tudo 6sup; 6sup é 7b, 7b é 8b e daí pra cima sei lá hehehe).

Chegando em Rodellar...

O lugar é muito foda. Se vai a pé a todos os setores. Tipo a vila de Itaqueri e os setores (só que é um mega vale com mega setores dos dois lados). Só que rola aquele incentivo né, ao contrário do Brasil, em que a escalada é marginalizada. Aqui é visto como uma fonte de renda, PORÉM, não se paga para escalar em uma área natural pois isso não é justo. Há muitas outras formas de se ganhar muito mais dinheiro de forma muito mais eficiente que cobrando pela entrada nos locais de escalada. Há bares, há restaurantes, campings, pousadas, refúgios. Você é atraído pela escalada, e claro, acaba deixando dinheiro na cidade, pois vc paga por todo o resto (camping, comida, etc..) que são coisas que vc estaria consumindo em qualquer lugar mesmo, porém feliz da vida pq escalou o dia inteiro num lugar muito massa.

Marta num quintinho em Rodellar.. Já viu né... ;P

No primeiro dia a marta já estava mordendo pedra. Com sua sapatilha nova, queria sair desossando as vias. Entrou guiando num 6a Fr (5° Br) mas não rolou, eu entrei, e achei o quinto grau mais dificil da minha vida, junto com a Nini van Prehn em Andradas. Podemos dizer que os quintos daqui são “quintos de Andradas”. Isso pq a via tinha tipo 5 costuras e a base. Tudo bem, era a primeira via e estávamos aclimatando. Depois encontramos um casal canadense na casa do seus 50 anos que enquanto encarávamos umas vias e decidíamos se íamos entrar ou não, eles sugeriram que entrássemos pois as vias eram muito boas. A marta entrou equipando nas duas e resgatou sua dignidade. Eram dois 6a Fr (5°) do setor Bikini de quase 30m. Eu sei que a minha (dignidade) ficou num setor chamado Desplombe de los desesperados. Entrei num 6c+ (7b Br) com uma saída super boulderística, nem cheguei na segunda chapa, aí entrei na via ao lado, um 6b+ (6sup) que eu fiz força como se fosse um 6c+ (7b Br). Mas esses foram os equívocos iniciais, acho que pela aclimatação ao local, pois o resto dos dias rolou curtir mais o climb, as vias e todo o resto.

Encadeirando-se... ao fundo a Gran Boveda, né não? (note à direita a pequena sombra: é o diedro inicial da via de 40m)

Para fugir do sol, outro dia, fomos para o setor “Furia Latina” e “Sorgente”, mas o psico da marta não tava muito legal pra guiar esse dia. No fim do dia entrei num 6c (7a BR) de 4 chapas e base. Explosão total num mega negativo com chorreira, mini teto no final, com direito a pinça no teto…. animal a via.. é a segunda via do setor Furia Latina. A via é legal, acabei não mandando pois o ultimo move da virada do teto para o vertical, apesar de alucinante, era bem forte, mas deu pra isolar bem os moves. Não voltei na via pois daí pra frente percebi que as vias curtas tem a dificuldade espremida, então resolvi dar prioridade a vias mais longas, já que via curta eu posso escalar em casa hehehe.

De olho na galera escalando de verdade.. Parte de trás do "Delfin", setor Sorgente..

Querendo vias mais altas e de beleza cênica impressionante, escalamos obviamente o cartão postal de Rodellar: As vias do Delfin (golfinho). O impressionante arco tem um 5sup (6a+ FR) que beira o arco muito legal. Super aérea e pouco polida. Recomendo!

Essa via não é muito longa, mas é alta, puta visuuu meooo!!

E a via vai beirando "o abismo", super aérea, legal! Termina subindo reto depois da metade...

No fim do dia ainda fomos correndo no setor El callejon, onde nos tinha sido indicado pelo David e pela Iris, que haviam nos emprestado o guia, um 7a Fr (7c Br) muito massa de chorrera. A via realmente é animal, recomendo, se chama “Passaba por aqui”. Ele só não tinha me avisado do lance de placa lazarento que tinha nos 15m finais da via! A via tem uma saída negativa em chorreras (leia-se agarrões), um cruxzinho de sair da chorrera e entrar na parte levemente positiva. Todo mundo sabe que eu odeio as placas (positivo de aderência e regletinhos), mas o lance inicial na chorrera foi tão, mas tão massa, que eu subi o lance de placa (que não era muito menos que sexto, mas plaquero!!) dando risada… Eu lembro que eu subia pensando “ahahahah, que da hora, a próxima chapa está a uns 4m de distância, vou tomar a maior vaca da minha vida.. ahahaha vamo lá, que da hora ahahah” Acho que em parte também por culpa da nova sapatilha que eu tava estreando. É uma Scarpa Instinct S, (que eu tive que rodar meio mundo pra encontrar, pois não tinha na Italia, nao tinha na espanha, nao tinha nos EUA, achei numa lojinha na Inglaterra) com o novo solado Vibram XSGrip 2.0 que realmente está ducaralho. Eu achava que era a sapatilha que por si só era muito boa, mas descobri o que é o vibram 2 (e o que se supõe que ele faz) depois de voltar pra Madrid, num artigo da revista da barrabés. Mas como confiar na sapata influencia no psico!!

De brinquedo novo, ô que beleza!

De sapata nova, COM BICO (que a que eu tava já não tinha) tudo fica mais fácil!

O casal de sapa nova... escalando um grau a mais... kkkk

Mas voltando a falar de climb, um setor que eu recomendo para quem está procurando vias longas negativas de agarrão (e não muito aérea, o que é bom para o psico hehe), é um setor muito legal que de longe impressiona: Pince sans rire. Um mega teto de uns 50m de altura com uma outra parede dentro dela. Dificil explicar, mas muito legal de escalar! (Vide foto)

Ao fundo o Setor.. note que dentro da Cueva a esquerda tem meio que outro setor...

Na direita as vias de décimo grau de 50m (onde a Daila Ojeda sem o seu namorado estava malhando um 10b BR – 8b Fr). Na esquerda vias mais baixas, de 25m, de 6° (6b Fr) a 7c (7a Fr). Entrei num 6° muito loco, e, apesar de ter ficado um pouco intimidado pela extensão e dificuldade, como uma criança num parque de diversões, resolvi entrar num 6sup super negativo que parecia ter muitos agarrões. E qual não foi minha surpresa quando realmente era um 6sup (de rodellar – forte!) de agarrão de 25m!! Descendo da via de baldinho fiquei quase uns 8m da parede… me esbaldei! A via se chama “Los Hermanos Peruanos”, uma das melhores que eu fiz na trip! Saindo do setor a marta ainda deu um puta migué… estávamos com vergonha de tirar uma foto com a Daila, e meio que sem querer acabamos tirando uma foto com o cachorro do Chris Sharma kkkkk De todas as escaladoras que eu conheci na Espanha, dá pra dizer que a Daila é a Rafa Discaciati espanhola, por ser muito simpática! Aí Barão, sobrou pra ti o cargo de Chris sharma Brasileiro! Kkkk

Marta e o Cachorro celebridade...

Na sexta  noite chegou o Daniel Hirata de campinas, que também está em ano sabático e começou sua jornada aqui pela Espanha escalando em rodellar (depois de ter ficado 1semana em Barcelona só curtindo a night – e os afters). Com ele veio seu amigo de infância, o Roger, com quem ele fazia troca-troca quando era pequeno (aí Roger, zuêra!)… Apesar da sapatilha dele ser pior que um kichute, ele demonstrou grande evolução e perseverança em apenas dois dias de escalada, o que renderia bons frutos na semana seguinte já aqui em Madrid, escalando em Patones. Pela primeira vez fomos no Setor “El Camino” e na minha humilde opinião foi um dos melhores que escalei aqui, pois ele possui muitas vias, negativas, com comprimento entre 15 e 25m, todas uma do lado da outra, base plana, acesso mais sussa… e as que eu escalei muito boas com agarrões. Aquecemos num 6°, fizemos um quintinho, e não poderia sair dali sem aproveitar para entrar num 6c FR (7a Br), aproveitando que tava o Daniel ali mordendo preda e disposto a subir a via também. Subi equipando e caí indo para o agarrão da cadena sem dar curintcha na costura.. que via massa! Muita pinça, invertidas, chorrera, negativa, e com agarrões intermediários! Adoro! O Daniel subiu mas também achou um 7a meio fortinho, e acabou ficando lá em cima, sentado num bloco, ao lado da base, tirando umas fotos com sua mega câmera máster plus xxx de cima. Entrei de novo “apretando à muerte” e mandei rapidinho! (incrível a diferença entre entrar a vista sacando os moves e depois entrar pra cadena rapidão!). Agora eu espero ele mandar as fotos um dia quem sabe! (junto com as fotos que ele me prometeu da Vagabundos nutridos ao por do sol!).

Daniel com toquinha no melhor estilo Gibara de ser...

E ainda na pilha das vias longas, fomos no setor Nuit de Temps fazer uma via de mais de 40m. Um 6sup Impressionante de quase 18 costuras e dois rapéis. A primeira enfiada é um diedrinho de quinto grau de 17m chamado “Tam-tam”, cheio de fendas. Chega num platô e a coisa começa a ficar séria, mais 26m de escalada de comprometimento, onde vc não pode nem pensar em caiirrrrr qualidade, negativa, com vários crux, mas na real, uma via de resista. A segunda parte se chama “Objetivo M” e eu diria que seria a Lamúrias de Rodellar (só que mais fácil). Eu só sei que é escalada que não acabava mais!! Cheguei na base com UMA costura no Rack!! (tinha pegado um monte do Daniel, devo ter subido com umas 18). A via é muito boa, só fico com vergonha porque já faltando uma ou duas costuras pra base, fui ficando cansado aí começou aquela putaria de gemer cada vez que pegava um agarrão, comemorando – Uiiii!! ADORO UM AGARRÃOOO. Mas deu tudo certo e não caí =).

Essa foto só mostra metade da via, mas aquela foto ali em cima que tem eu me encadeirando, aparece esse "espigão" aí inteiro, visto do outro lado do vale...

Casal na área de lazer central do pico entre os sectores...

No último dia andamos MIL ANOS procurando um quinto grau pro Roger, e aproveitamos para conhecer um setor muito bonito, a “Cueva de los cazadores”… Lugar com um teto do caralho, impressionante mesmo, mas o quinto grau sem nome podia chamar quebradeira… Escalamos todos, muito legal, mas depois desse quinto tinha só 7b (6c+ fr) pra cima, que por sinal, fiquei muito na instiga de entrar, “La niña de mis ojos”, pois parecia que a dificuldade consistia na negatividade da via com final no teto (tipo o começo da TPM, na invernada), mas com uma chapa atrás da outra, e agarrões.

Muita pedra solta e cocô de pomba... mas um visu mto massa!

Por fim não entrei e acabamos voltando pro “setor principal” e demos mais uma escaladinha nas vias do Delfin pro Roger e o Daniel provarem. Entrei no outro 6a+ Fr (5sup BR) da esquerda já que já tinha feito a via da direita, e achei muito mais legal a da esquerda mesmo! Aí aproveitei o Daniel e entrei num 7a Fr (7cBR) que passava bem pelo teto no meio do Delfin. Só que me deixei seduzir pelas costuras abandonadas e acabei não indo pelo 7a FR e sim por um 7c (9aBr). Não cheguei no final, mas costurei 3 das 4 costuras eternas (permadraws) do teto, feliz da vida pq era tudo agarrão gigante animal…Só o crux tinha um move mais forte com abaoladinho no final do teto… mas aí minha mão já não fechava mais pra costurar nem a próxima permadraw. Mas que satisfação! Hahahaha Entrei num 9a em Rodellar! Kkkkk E que satisfação que fomos para outro setor, recomendados por uma outra escaladora Canária muito simpática que havíamos conhecido outro dia: A melhor via abaixo de 7a de rodellar! Roxy La palmera, um 6sup na chorreira meio bombante super divertido!!! Adorei! A marta também adorou e falou que foi a melhor via que ela entrou na viagem! E o final ainda tem um presente muito legal pra chegar na base (só entrando pra ver!)! E  1m pra esquerda tem um 7a br que a Canária também recomendara, que pareceu ser muito massa, de chorrera e teto, mas já tava escuro, tivemos que limpar outra via (a massive atack) que o Daniel tinha entrado com o Roger ali do lado).

Marta guiando uma via de quase 30m no setor L'ecole

Esqueci de mencionar a inundação que tivemos durante uma noite onde estavamos acampando e sem ter chovido! Por conta de um cano quebrado ou algo assim, e logo pela manhã fomos acordados por uns gringos e tivemos que escolher outro lugar para a barraca. Por sorte a água só subiu uns 10cm e não molhou nada dentro da barraca =)

Nossa casa por quase 10 dias...

Medidas emergenciais! Corre pra salvar o fogão, geladeira, que inundou o barraco!

Saímos de Rodellar e seguimos para o Parque Nacional de Ordesa y Monte Perdido que a Marta queria muito conhecer, pois segundo ela era muito legal, muito bonito, e estávamos só a duas horas do Parque. Enfim fomos, ficamos num camping de luxo, mas super barato. E a trilha… bem, vou poupar palavras e assistam ao vídeo que eu fiz do rolê.

E foi esse o resumão da nossa trip de 10 dias por Rodellar (serra de Guara) e Pirineus. Agora de volta a Madrid, o frio está chegando, vamos dar seguimento às nossas vidas e ao climb, mas ainda com muita saudade dos trutas e de casa! Trutas: Mandem as noticias dos Climbs! Já to sabendo que o VIADO do Gui mandou a Cactus com o Bruno! (me matam de orgulho!)… Que mais rola por aí, São Carlos (Itirapina, BH, Botucatu, RP) Pression Team?

Martinha no Delphin..

Aí no Setor Desplome de los desesperados... Pince Sans Rire ao fundo. (eu sei, branco estourado)

Já fora de Rodellar.. Aí eles aproveitaram a curva da estrada e fizeram um belo mirante, com passarela para a paisagem... No brasil teriam tampado o buraco com lixo de construção civil se pudessem..

E aí a Marta com um gato de rua... Super dócil, quase dormiu na barraca com a gente.... pena que ele não faz o gato de fole quando apertado...

E como prometido no início, esse link tem os croquis de quase todas as vias de rodellar, mas é um site genérico e provavelmente terá de outros picos classe A também…

http://27crags.com/crags/rodellar/topos/nuit-des-temps