Conquistas nas 3 Pedras

Gui e Bia: cansados, sujos e felizes!

Gui e Bia: cansados, sujos e felizes!

Olá meus caros! O Post de hoje será escrito por uma colaboradora muito especial, que está sempre presente nas fotos do Blog, que é a fanfarrona Bia! E o Post de hoje é sobre as conquistas que vêm sendo feitas nas três pedras, em Botucatu. As 3 Pedras formam um conjunto de morros testemunhos de arenito com grande potencial para a escalada esportiva. Localizado em Botucatu/Bofete/Pardinho, no interior de SP, o pico tem sido desenvolvido nos últimos meses pela dupla de atletas Quero Escalar Bia e Gui. Confiram o relato da Bia que conta um pouco das conquistas recentes. Não vou me estender muito, então com vocês, o post:

Enquanto isso, um pouco mais longe dali…

As Três Pedras!

As Três Pedras!

… um pico alucinante de escalada está sendo desenvolvido!

Por muito tempo conheci as 3 Pedras apenas por foto ou bem de longe, pelos mirantes da cuesta de Botucatu. Em 2013 resolvi conferir de perto oque essas pedras místicas tinham pra oferecer (pensamento de escalador: não é possível ter 3 rochas gigantes e não ter um “lugarzim” pra escalar). Chamei o Gui para fazermos uma visita ao pico sem grandes pretensões, sem material de escalada, só pra conhecer mesmo. Ainda bem que foi assim, pois essa primeira visita contou com o carro atolado e uma loooonga caminhada no pasto para chegar na base da pedra.

No inicio do ano a dupla dinâmica de São Manuel, Lucio e Luciano me chamou para conhecer uma via já aberta na primeira pedra, a Via dos Catarinos, aberta pela Andréia e pelo Pedro uns 4 anos atrás. É uma via muito massa, forte, com direito a monodedo e regletinhos deliciosos, cotada na casa da 7b. Em outra ida ao pico encorajados pelo Brasil e suas peças móveis entramos na fenda logo ao lado da Via dos Catarinos. Uma fenda em móvel cheia de morcegos fedidos  linda, apenas com a  parada fixa  que vale muito ralar as pecinhas e fritar a panturrilha! =) 

Na vibe de escalar mais no lugar, Lucio e Luciano abriram a divertida via Maria Diurética (6⁰) nesse mesmo setor, no estilo mais rustico possível, no batedor. Mas toda vez que íamos embora eu olhava pra trás e imaginava “deve ter muita via massa pra abrir por aqui…”.

Bia na Maria Diurética (6º)

Bia na Maria Diurética (6º) Crédito da foto: Luciano

Encafifada com a ideia de ter 3 Cuscuzeiros no quintal de casa e querendo me livrar do sol das vias já abertas (no inverno bate sol 24h por dia, rs), convenci o Gui e o Shimoto a virem pra Botucatu caçar saci dar um passeio pelo pico em busca de um setor com sombra e água fresca. Mandei um e-mail para o patrocinador Quero Escalar encomendando as chapas e parabolts , emprestamos seu kit pessoal de conquista  e partimos.

Ao chegarmos ao pico, ainda do lado do carro, apontei pra eles um lugar na segunda pedra que, por algum motivo, me parecia que podia ser O setor. Não deram muita bola e fomos para um trekinng radical bom role pelo pico, começando por onde estão as vias antigas. Resultado: muita parede fritando no sol, muito “esfarelito”, abelhas, marimbondos, vespas e simpatizantes. Até que enfim chegamos no lugar em que eu acreditava ser nossa menina nos olhos. Dito e feito. Sombra! Arenito sólido! Ahu!

Face Sudeste da segunda pedra, onde estão as novas vias

Face Sudeste da segunda pedra, onde estão as novas vias

Gui fazendo o primeiro furo

Gui , o primeiro furo a gente nunca esquece

Escolhemos o que parecia ser uma linha legal, o Gui fez a parte chata de subir até o cume por uma escalaminhada, armou o rapel e furou duas bases. Armamos o top-rope e dá-lhe escalada!

No dia seguinte escolhemos uma das vias para a conquista e após cinco furos lá estava ela, nossa primeira via conquistada! Nome: Primeira Viagem, por sermos os três escaladores de primeira viagem na arte da conquista de vias! A via é um prato cheio pra quem curte regletes de todos os tipos: grandes, rasos, na horizontal, vertical, e pra quem está com o alongamento em dia!

Bia na Primeira Viagem

Bia na Primeira Viagem

Lucio no "agarrão" da Primeira Viagem

Lucio no “agarrão” da Primeira Viagem

Seguindo com as conquistas, na segunda investida furamos a base de uma via logo à direita da Primeira Viagem e fomos pra um setorzinho um pouco mais longe abrir uma linda linha entre dois coqueiros que o Gui estava de olho, e quando faltavam 3 furos para acabar a via, acabou a segunda bateria (graças as arenito solido das bases)… e volta o cão arrependido, com suas orelhas tão fartas, com seu olho roído  e com o rabo entre as pernas…

Na terceira investida, rá-tá-tá-tá! Mais duas vias finalizadas! Uma é a Malibu, a que faltavam apenas três chapas, via de fazer força! Depois de sofrer no Yoga na Primeira Viagem, a Malibu veio para o pessoal gastar os bracinhos! Com sete chapas mais a base, ela ficou bem alta e tem recebido elogios de quem já entrou.

Shimoto na Malibu

Shimoto na Malibu

A outra via pronta (só que não), é a direita da Primeira Viagem. Uma linha óbvia e aparentemente fácil, batizada de “O Quinto que Pinga”. Do chão até a base a via tem cerca de vinte metros. Porém, quando o Gui foi furar os três furos logo abaixo da base, acertou o encanamento da fazenda e desde então os furos viraram minas d’agua. Como solução temporária, deixamos uma malha com um elo de corrente no ultimo ponto antes da aguaceira, que já vale muito a diversão da via. Mais uma via “téquinique” que irá colocar os alongamentos a prova! Até a malha rápida + elo de corrente o grau sugerido é 6sup.

Shimoto na Quinto que Pinga, indo para a ultima chapa antes do pinga-pinga

Shimoto na Quinto que Pinga, indo para a ultima chapa antes do pinga-pinga

Gui alongando na Quinto que Pinga

Gui alongando na Quinto que Pinga

No final de 2013, em pleno verão de 40⁰, aproveitar as famosas cachoeiras de Botucatu, pra quê? Vamos abrir via no sol que é muito mais refrescante!rs É galera, é um trabalho árduo mas alguém tem que fazê-lo! E lá fomos nós mais uma vez e mais uma via concluída! Essa foi uma linha com uma das bases que abrimos na primeira investida e foi batizada de “Pulo do Gato”. A conquista dessa foi ficando pra depois porque tínhamos dúvidas quanto à viabilidade da saída. Mas a linha é amazing e mereceu a grampeação. E a saída? Bem, tem aqueles que treinam, os que sobem árvores, os que pulam e tem aqueles que fazem construção civil… Tudo depende do quanto você quer se desafiar!

Nesse final de semana o Shimoto e a Sí vieram visitar o pico e participaram da conquista da quinta via, localizada bem mais longe das demais, no final da segunda pedra. Com o nome de Caminho das Pedras, a via confirmou o estilo técnico da escalada das três pedras, com muitos moves delicados de transferência de peso e posicionamento de corpo, ficando cotada em 7a/b.

Bom galera, por hora é isso! Botucatu e região tem mais um pico para escalar, que além de Saci, tem um visual incrível e vias lindas (mãe coruja) com um conquistador de primeira (namorada coruja)! Vamos acabar com o estoque de chapeletas e parabolts da Quero Escalar esse ano! Falando nisso, Genja muito obrigada pelo espaço cedido, pelas baterias emprestadas e pela vibe! Agradeço a  Quero Escalar pelo material de primeira e sempre pronta-entrega!

Fica o convite para qualquer um que queira conferir o pico, abrir novas vias… (Link com mapa de como chegar: https://mapsengine.google.com/map/edit?mid=zdpLMuw7SSGs.kSzTn3y2ipMg)

Para passar o dia paga-se R$ 3 para o Seu Prado e sua esposa Dona Cida, donos da fazenda onde se localiza o pico. Tem um bom pasto pra acampar por R$5. Lembre-se de fechar as porteiras, respeitar a natureza e a propriedade alheia! Boas escaladas!

Visual do fim de tarde (leia-se 7h30 na noite). Sombra da segunda pedra de olho na terceira pedra (Sentinela segundo o Shimoto)

Visual do fim de tarde (leia-se 7h30 na noite). Sombra da segunda pedra de olho na terceira pedra (Sentinela segundo o Shimoto)

Um dos melhores vídeos Brazucas…

(Não esqueçam de clicar no HD para assistir os videos em Alta definição!)

Fiquei emocionado com esse vídeo da Raquel Guilhon no RJ mandando a esdrúxulo luxo, 10a (8a+). Finalmente um vídeo com qualidade gringa, e uma escaladora com nível gringo. A Raquel na minha opinião é junto com a Janine a escaladora mais forte do Brasil, e isso se mostra nas vias que ela vem mandando na rocha. O destaque também é pela incrível edição, de qualidade, com muitos takes, e várias tomadas, sem erros de continuidade, parabéns ao Ricardo Cosme da Granito Filmes pela produção. Em breve o primeiro lançamento amador da Marmota filmes sobre o cuscuzeiro. E já menos amador uma pequena produção sobre a nossa trip para o cipó.

Sobre fotos dos últimos climbs, bem, a camera anda meio tímida, e o fotografo idem, sem muitas sequências geniais que mereçam vir para o blog. Mas em breve, como já antecipei, vídeos!

E já que o assunto é vídeo, fiquem com mais um:

O polêmico Barnabé escalando uma “criação sua”, um praticamente 12a, que ele teve que colar umas agarrinhas (béééééeeeee) para poder linkar um trecho impossível… ou seja, fabricando vias, coisa que não fazemos aqui no Brasil nem fudendo! (talvez por isso não tenhamos dôzimos? Melhor não pensar).

E na sequência, 2 trailers:

Esse da Sashinha que rolou aos montes na internet semana passada, mas eu não poderia deixar de coloca-lo. Detalhe que ele foi feito usando uma (!!) GRUA (!!) é isso mesmo, uma espécide de haste que acompanha a escaladora conforme ela vai subindo.. muito foda essas superproduções. E eu aqui todo feliz que fiquei sentado numa árvore em frente a via pra fazer umas fotinhos mixurucas… =/ Note que o saquinho de mag que ela usa parece gigante, mas eu tenho um igual e é bem menor, mostrando que ela édeve ser muito pequena. Maldita magra

E esse trailer do filme do Adam Ondra… Muito bom assisti-lo malhando a Golpe de Estado (12b Br) bem de perto, vê-lo falhar, não conseguir fazer os moves, insistir até conseguir… Vê se aprende pra não dar fiasco na leite com pêra, genjão! – Eu sei… 😦

E vocês lembram daquela via que iniciava o Dosage 4? Onde o Chris Sharma pagava uma travessia nuns abaolados ignorantes, e no final fazia uma virada pegando num reglete inexistente, dando umas vuadas alucinantes? (medo) Pois ela está de volta… Ficou bem legal essa edição, não está world class, mas vale a pena acompanhar a escalada e o crux de uma forma menos “gritante”.

Para finalizar, o Alex Honnold, solando uns bagulho cabuloso, e gritando no meio: “Ai caralho, to me cagando!!!”  Vaaai nego… detalhe para o bom gosto para camisas dele, que assim como eu, alto e feio, temos que utilizar para parecer mais normal. Além de escalarmos pra caralho é claro kkkkkk

E chega por hoje, quem quiser mais vídeo, tem esse, que entrou na lista porque a trilha sonora fez a média subir e passar raspando no pré-requisito…