Na estrada parte 2/3

O Parceiro, Fábio!

O Parceiro de trip, Fábio!

E se eu não me apressar com esses posts logo serão mais partes hahaha

Mês passado teve o lançamento do guia de escalada mais esperado da década depois do guia do Cusco, é claro ;). Foi lá na Serra do Cipó que os escaladores locais Barão, Belisário e Wagninho lançaram o Guia de Escalada da Serra do Cipó. (Já disponível na Quero Escalar) 😉 Não poderia deixar de prestigiar este que para mim foi um acontecimento mais importante que qualquer abertura de temporada, campeonato ou festival. Um guia de escalada tão completo da melhor área de escalada do Brasil realmente não poderia passar em branco, ainda mais com o campeonato que marca a abertura de temporada no Cipó?! Vish, fui memo, ta ligado?

Esse Guia é o Bicho! E sabe onde tem? Isso mesmo, na Quero Escalar!

Esse Guia é o Bicho! E sabe onde tem? Isso mesmo, na Quero Escalar!

Combinei com o Fabio de Porto Ferreira, que ao contrário de mim que estava a trabalho, está num período sabático. Ninguém de São Carlos animou ir mas mesmo assim eu me joguei pois sabia (e estava era mesmo precisando) que ir para um lugar incrível e reencontrar os amigos de longe e conhecer um monte de gente boa não me soava nada mal. Saímos de Porto Ferreira numa quinta, chegamos no magrão a noite, armamos barraca e lá ficamos até domingo. Na sexta feira pudemos escalar, já começamos a reencontrar a galera pelo pico e conhecer outros tantos. A noite era o principal motivo de nossa viagem, colamos no Espaço Mandalla para o lançamento do Guia. Nossa, só personalidade… tietei horrores, tive o privilégio de apertar a mão e conhecer o Antonio Paulo Faria, graaaande figura da escalada brasileira que pelas histórias hilárias provou porquê é um figura tão carismático e respeitado por onde passa. Conheci o Sapo, da Sapo Agarras, Reencontrei a Flora e o Tommy da 4 ventos (marca de roupas e mochilas do Paraná). Do Paraná Também estava o Chiquinho da Alto Estilo e o Ed da Conquista, com quem pude conversar pessoalmente pela primeira vez sobre a polêmica entre a Quero Escalar e sua marca. Pessoa humilde, que conversou numa boa sobre o ocorrido. Pude então finalmente conhecer outra figura bastante carismática e conhecida que é a escaladora Nereida, entre outros tantos não tão anônimos quanto este que vos fala. Pela primeira vez pude trocar algumas idéias com o Belisário pessoalmente, gente finíssima também. O lançamento foi uma festa mesmo, a galera toda super alto astral, a viagem estava só começando mas começou muito bem. A qualidade do guia realmente cumpriu o que prometeu e não deixou nada a desejar a nenhum guia gringo.

No segundo dia iria ter o festival, eu com meu mimimi ombro zuado fui só rapidinho pra prestigiar e pegar a camiseta do evento. Tocamos pra pedra escalar mas no fim do dia voltamos para ver as finais do Master. Aí foi um show a parte. Um show da parte da organização, um show por parte d@s atletas que deram um espetáculo ali ao ar livre. Pude ver grandes personalidades como Jean Ouriques, Rafael Passos, Haddad e o máquina Felipe Camargo (entre outros não menos fortes/importantes) flutuarem pelos boulders, este último com brutal vantagem física e técnica sobre os outros. No feminino foi de encher os olhos ver a flora demonstrar uma técnica apuradíssima que só quem escala muito na rocha consegue ter, ou ver a pressão incrível da Maíra Vilas Boas destruir alguns boulders. Tietei mais ainda. Tirei foto com um cara que eu admiro muito e já tinha trocado idéia que é o Fei (tipo o Dani Andrada Brasileiro, um dos caras que mais abre via no Brasil), fiquei admirado com a simpatia e a humildade do Felipe Camargo, que ficou trocando uma idéia de boa um tempão e contou dos planos e de seu rolê pela Europa (por acaso essa semana ele mandou um 9a Francês la em margalef).

No domingo foi Mara pois pude escalar com o Graaaaande Maurinho de Divinópolis na sala da Justiça. Conheci finalmente personalidades do Climb Mineiro como a Renatinha e a própria Maira Vilas Boas que tava no Magrão com a gente. Conheci gente muito animada com o climb, gente normal sabe? Gente que tem vida não-climb além do Climb – Tipo de gente que as vezes falta no meio da escalada pra trazer uma perspectiva diferente pra gente que fica só bitolado no climb. Pessoas tipo a Silvia de Sampa que eu já conhecia, ou a Alaine de BH. O Lucas que fez janta com a gente no magrão, e no outro dia entrou a vista na Inquilinos (9a) do meu lado na sala da Justiça e mandou de segundo pega. A humildade do maluco é maior que a força na escalada, e a simpatia supera tudo! Finalmente conheci o Garrinha, vi ele escalando só um 6 grau, mas ali eu já flagrei que o bicho manja dos paranauê de subir pedra. Menos quando tem queda com pêndulo né Garrinha? rsrs Galerinha de Montes Claros aaaltamente alto astral, nuuu… que foi isso!? Tiago, Fernandinha, Cris, (e o quarto elemento todo quietão que eu esqueci o apelidooo) nuuu… Se a galera de MOC é que nem essa turma, vou pra lá em breve!!  Enfim, foram 3 dias de um intensivão de gente Alto Astral, a Vibe lá na lua, foi coisa fina mesmo, tipo uma lobotomia de boas vibrações. Tipo aquilo que o Chico Xavier usa pra pagar o ônibus… um passe!! 

Ahhhh, o Cipóoo. Mas o domingo chegou e o Fábio e eu vazamos. Fomos para a segunda etapa do nosso rolê, que estava só Começando: Arcos. Mas essa Trip foi tão da hora que não da pra contar tudo num post só, mas se liga que o próximo post eu conto do Setor novo no qual a gente abriu as primeiras vias e do abrigo classe A pra escaladores lá de Arcos. No te lo pierdas!

Cipó de Reveion (muitas fotos)

Bia e os contrastes das rochas do Cipó

Bia e os contrastes das rochas do Cipó

Fomos para o Cipó, ficamos 15 dias. Escalamos horrores e tive a oportunidade de escalar muitas vias a vista em setores novos e repetir algumas clássicas. Cheguei a mandar um 7c/8a no segundo pega (Por entre as pernas da perseguida) mas infelizmente não pude mandar todos os projetos que tinha. Tivemos a oportunidade de conhecer todos os setores novos e linkar por dentro o G3 ao G2 ao G1, coisa linda. O PCC é o canal pra dia de muito calor. O Blair pra qualquer dia, e o papagaio é irado! E o setor Janela então?! Puts, pirei!

Eu não pude entrar em tudo que eu gostaria pois no comecinho de dezembro senti um incômodo no ombro, que na segunda metade da trip voltou a incomodar. Eu nunca tinha sentido nada no ombro, mas agora como o elo mais fraco que eram os dedos foram fortalecidos, deve ter aparecido outro elo fraco :/ Foi num move besta e fácil no final da Especialidade da casa indo de um agarrão para outro agarrão q senti o Crec no ombro. <<Burroooooo>>. Aí que que o infeliz aqui faz? Mesmo com o alerta no ombro, depois de 2 dias, entra na Heróis equipando. Very clever! Quando cheguei no chão tiveram que tirar o nó pra mim e fui medicado com 1 dorflex e 2 cataflans pq não aguentava de dor no ombro/braço esquerdo. Ó dó…. Aí até o fim da trip tive que abaixar o nível e fiquei escalando só sétimos a vista com o Ives pra não forçar. Foi bão também! Fiz várias vias novas legais na perseguida, no Blair, no PCC, no Coliseu, no Serra Pelada. Escalada à vista é muito massa, não sei pq não vejo a galera fazendo esse tipo de escalada por lá.

O Greg foi o nosso menino de Ouro, mandou a ética e a na Calada da noite, e como diria a Bia, o resto não fez mais que a obrigação. Fiz um sexto grau lindo de morrer, “delício” na perseguida, novo, duas vias pra direta da por entre as pernas, sensacional. Repeti a Gigante pela propria natureza, flashblack, entrei na sheetara de novo, conheci a 11 proteções e 1 segredo, finalmente conheci a Dilúvios na Sancho Pena e a Via de Blair (que vias incríveis!). Incríveis também as duas vias da esquerda do PCC, um 6sup e um 7a, e fiquei morrendo de vontade de entrar na Pablo Escobar e na Zé pequeno, mas fui pela prudência que me faltou antes e me contive entrando em vias mais tranquilas. Ah! E pude mandar finalmente um 7b que tava devendo desde 2010, a “Minha amada imortal” no G1. A primeira vez do Ives no Cipó foi muito bem, fez até um ou outro 7a em flash e pode conhecer a maioria das clássicas.

Confira as fotos que acho que elas falam mais que palavras 🙂

Nossa, e nessa trip aconteceu a situação mais bizarra da minha vida com rapeleiros. Estavamos no setor da Melzinho, o Greg tinha acabado de mandar a Sem compromisso 7a e tinha um brother de Sampa malhando a Jungle Boy. De repente… Senta q lá vem a história:

Quando vejo alguém fazendo presepada no pico de escalada...

Quando vejo rapeleiro chegando no pico de escalada…

Num puta calor de 35º, todos derretendo, chega a gangue do rapel com macacão de piloto da força aérea, de bombeiro, de lixeiro, entre outros. Cheio de brasões, bordados e claro, coturno até o joelho. Garotos de 15, senhoritas de 30, homens nessa faixa também. E o líder de shortinho da copa de 70 e camisetinha (igual do gif acima). Vinham com corda no pescoço, cadeirinha em mãos, nenhuma mochila. Comentando entre si: “…Olha lá, eles já estão descendo aqui, vamos ver como eles tão fazendo…”  Eu cheguei até a pensar que fosse alguma coisa da brigada de resgate local, onde algum escalador foda estivesse ensinando alguma coisa para alguma turma sobre procedimentos de segurança em escalada. Ledo engano. Eles chegaram a perguntar se todos que ali estávamos na base da via (no chão) já tinhamos todos descido. Tive que explicar que nenhum de nós que ali estava havia descido, só subido e que apenas o último fica pra limpar a via e descer (nem me dei ao trabalho de explicar que depois de subir, haviamos descido de baldinho, preferi ser mais incisivo). Aí o Rapeleiro Alfa chega pra mim e pergunta: “É nossa primeira vez por aqui, onde vc recomenda que a gente faça rapel?”

via a vista 8anu

Ao que eu prontamente meio que sem pensar respondi: NÃO RECOMENDO. <<grilos – Cricri-cricri-cricri>>

coice-o

É, não foi um coice assim, mas alguns falaram que soou meio assim hehehe. Alguns segundos de silêncio depois que sucederam a resposta: “Mas não tem um lugar onde as pessoas fazem rapel aqui?” Não. não tem. O pessoal aqui vem pra escalar mesmo. Conheço os escaladores locais e pelo q eu sei essa atividade não é bem vista por aqui. Aì eles agradeceram, viraram as costas e foram “meio que caçar” um lugar pra exercer a deplorável atividade. Sem sucesso pois meia hora depois estavamos mudando de setor e cruzamos com eles passando por nós de novo na trilha, indo embora. Ai ai, até quando né gente? Não vou nem comentar pq se formos analisar as raízes disso passaríamos por parâmetros socio-econômicos, a falta de investimento e de interesse do governo em educação, a alta carga tributária, a safadeza descarada exercida pelo governo todos os dias, o monopólio do futebol em todas as mídias, que anda de mãos dadas com o machismo inerente à nossa sociedade, o desinteresse das pessoas por politica, ou seja: a falta de consciencia das pessoas sobre qualquer assunto e a superficialidade das discussões.

 

Agora fiquem com uma galeria de fotos do reveion…

E voltando ao tema principal do Blog que é fofocas escalada, mais fotos, pois na segunda metade da Trip, eu zuado me pus a tirar mais fotos afinal, era o que me restava fazer.

 

Bem, e essa foi mais uma trip pro Cipó! Agora é focar na recuperação e planejar a próxima! Que venha a rehab né, pq por enquanto é o que ta dando pra almejar! =D

Isso aqui ô ô…

Eu ia por a do Daniel na Jhonny Quest, mas a Bia é a Bia né?

Eu ia por a do Daniel na Jhonny Quest, mas a Bia é a Bia né? (Bia na Chorrera Musical, no vale da Perseguida, Serra do Cipó) Foto: Ursa Krenk

Pois é… ressaca braba depois da volta do Cipó. Depois de ficar 11 dias no paraíso, quem quer saber de ir escalar em outro lugar? E trabalhar então… Ainda bem que no Brasil o ano só começa depois do carnaval. Ahhh o Calcário ❤ ainda estou com aquela vontade de empacotar tudo e mudar pra Minas. Divinópolis quem sabe? ô tentação.. Fica a meio caminho do Cipó e de Arcos.

Essa semana voltaram os treinos na Academia Vida e o Pilates na Equilíbrio corporal. É incrível como uma única sessão de pilates já me faz ficar com a postura mais reta ao longo da semana. Mas fora isso estava sendo uma semana bem preguiçosa. Até agora, pois hoje recebi boas notícias no campo dos negócios e já estou motivado a produzir novamente. Croqui de Arcos quem sabe? Do cusco? No campo afetivo por enquanto meu nome continua na boca do sapo, o que é bom porque agora não seria uma boa hora pra pegar uma gripe. Qual será meu horóscopo de hoje?

Áries: Com a vinda da lua cheia e vênus em capricórnio sob o domínio de Júpiter, o período está propício para prosperar nos negócios. Você encontrará uma nova via para se dedicar, por isso, não dê mole nos treinos. Abrir novas vias pode ser legal, mas picos novos é melhor ainda! No quesito relacionamentos: Deixe isso pra lá e vá escalar que é o melhor que tá tendo.

Bem, mas deixando o mimimi de lado, essa semana o Guilherme e eu começamos a por a mão na massa lá na caixa d´água e demos início ao projeto “NORMAL 2.0”. Estamos tirando todas as agarras da face normal da caixa d´água para posterior reforma. As que não saíram por bem, saíram por mal. Tinha agarras com chumbadores e parafusos com mais de 20 anos que só com o girar da chavinha já quebrou. Em outras foi preciso usar uma ferramenta fundamental para a intimidação das agarras jurássicas mais teimosas: O caralhator. Incrível que algumas agarras que faziam vários anos que vínhamos tentando tirar, só pela presença de tal elemento, saíram com certa facilidade sem nem precisar usar a ferramenta! Obviamente que em algumas foi necessário o uso da força. Ossos do ofício. Nesses casos o parafuso que restava estava completamente oxidado, praticamente só tinha pózinho no vão, facilmente martelável para sua remoção. Essa semana terminamos a remoção total das agarras e semana que vem iremos reiniciar os trabalhos adicionando novos furos, reaproveitando os antigos (de mais da metade conseguimos remover o chumbador antigo) e já preparando para a recolocação das agarras para que a parede esteja pronta até o início do ano letivo.

O kit Martelo + Talhadeira (Vulgo caralheitor): Terror das agarras que não quiseram sair.

O kit Martelo + Talhadeira (Vulgo caralheitor): Terror das agarras que não quiseram sair.

Entre treinos, trampos e ficar com as pernas dormentes pendurado 3h na caixa d´água dando manutenção, separei alguns poucos vídeos de climb para hoje. A semana foi fraca de vídeos, mas tem alguns bem legais. Quem sabe semana que vem não tem algumas fotos do Climb do finde, que no fds passado tava foda. Além da ressaca e de todo o saudosismo do calcário, fomos pro Cuscuzeiro e as agarras estavam mó escorreguentas. E tava seco!(Calor do caralho). Secava a mão na camisa, passava mag, e a próxima agarra tava que fazia <<PFZRRR>> (onomatopéia praquele barulho tipo qdo vc pisa descalço na merda). Não sei se por causa disso, tomei uma vuada histórica na Leite com Pera, via com a qual mantenho uma relação de amor e ódio. Fui costurar a segunda, puxei um, dois, puxei três braços de corda e o pé resvalou… OLHO NO LANCEEEEEEE……  (do segundo 13 ao 23 apenas é a piada no vídeo a seguir)

Voei. Decolei. Uns 10 metrinhos pra não dizer que sou exagerado (mas certeza que foram 12!). Uma queda limpa, suave, tranquila, com gritinho homossexual no meio, mas tudo bem hehehe A Leite com pera pra quem não sabe é a continuação da Manga com Leite, então já começa nos seus 18m.

O primeiro vídeo de hoje é do perrengue que o Edu Marín e a Sasha “Cor de rosa” Digiulian passaram nas dolomitas. Repetiram um 10c do Alex hubber de 600m mas nem tudo saiu como planejado. Não é uma obra prima dos filmes de escalada mas é massa ver que os pros também se fodem de vez em quando hahaha E fica a pergunta que não quer calar: SERÁ QUE ROLOU? É massa ver que os pros também se fodem de vez em quando #2 hahaha

Falando em Sasha, saiu também esse, agora muuuuuito melhor, sobre ela e seu rolêzinho na África do Sul. Eu gostei, apesar dos comentários sobre racismo e como os locais são colocados como parte do cenário e não na mesma altura da protagonista. Tem sempre os “Haters gonna hate” hehehe

Não consegui colocar aqui de jeito nenhum, então clica aqui!

Esse aqui é tipo um vídeo-biografia-apresentação de um atleta Edelrid da espanha, no qual ele repete um 9b/c  que teve um significado histórico em sua época.

E já que o assunto é a Edelrid, que tal conhecer uma das maiores fabricas de cordas do mundo, com 150 anos de história? Essa fábrica é gigante e eu tive a oportunidade de conhecer pessoalmente. É um puuuuta trampo, realmente só tendo 150 anos pra manjar dos paranauê de como fazer cordas bem feitas, de maneira ágil e com as tecnologias pra aumentar a durabilidade da corda, inclusive nas mais baratas!!

E pra finalizar, mais um episódio das aventuras de James Pearson e Caroline Ciavaldini pela Turquia produzido pelo Brasileiro Francisco Taranto Jr. Massa demás!

Já saiu o episódio 5, mas como não da pra colocar aqui (nao ta no youtube, so na pagina deles) não vou colocar o link ainda!

Pra terminar, não deixe de ler o Blog da Ursa com fotos à lá Naoki Arima de sua trip pro Cipó. Está imperdível as impressões de uma Gringa sobre o melhor pico de climb do mundo Brasil!

http://ursagoesaroundtheworld.blogspot.com.br

E po-por hoje é so-só pe-pessoa-al!!

Férias no Cipó (Ou: “o post mais aguardado do ano até o momento”)

Começando o Post com o Por do Sol do Mirante

Começando o Post com o Por do Sol do Mirante

Falar o quê de uma das melhores trips de climb EVER? Simpesmente todos os praticamente 30 leitores deste blog estavam lá, então foi praticamente uma reunião nacional da galera mais firmeza do climb do Brasil! Graças à Ju que conseguiu reunir uma galeeera de todos os cantos do Brasil num único espaço, num único pico, que brilhou muito. Muita vibe boa, muita risada e uma galera integrada, confraternizando junto, comemorando juntos essa festa chamada escalada.

(pra você que vai ler tudo, dá o play nessa música que eu escrevi o post ouvindo ela e algumas do gênero)

Não tem muito como descrever, quem esteve lá sentiu que faz parte MESMO dessa tribo do bem que é a galerinha do Climb. O Espaço Mandalla acolheu a todos muito bem. Na outra vez tinhamos ficado no Magrão (Abrigo G3), e outrora no Abrigo Cipó dos amigos Barão e da Rafa, tudo 5 estrelas, e dessa vez pudemos conhecer o Mandalla. Mesmo quem não tava ficando lá “passava de lá” no fim do dia de Climb pra dar um salve pros irmão,(filar) tomar uma cervecita e botar o papo em dia. Através da figura do Ale Imbelloni que tava tomando conta na ausência da Fran, foi tudo muito bem organizado e não pudemos perceber sequer um mínimo de desconforto, muito pelo contrário.

Para o Cipó fomos de São Carlos a Fabi, o Greg (doravante denominados Fagreg) e eu. Fizemos um caminho que economizou praticamente 2h, indo por capitólio e Divinópolis. No começo estava chovendo todo dia as 2 e as 5 da tarde, então ficamos mais concentrados ali na sala de justiça e arredores. Conheci outra blogueira muito famosa, a Alessanda, do Minhas Certezas Incertas. Conheci a Wenia, com quem havia feito negócios via face e que me marcou pela espontaneidade (e é personalidade ali na região de São João del Rey, Arcos…). Esses são os que eu já conhecia de internet. Mas conheci muito mais gente. Conheci a Mel, o Lex, a Joana de SP, o Igor e o Gui do RJ, a Vanessa, a Cláudia e a Carol do Sul (sul de verdade, de POA e “alrededores” né gurias?), a Rê e a Emília com sua turminha de SP, o Everton de Franca, o Ulisses com a namorada Chilena, enfim: muitos desses com uma galeeeera junto (ou pelo menos @ respectiv@). Foi muito massa. Foi tipo o primeiro ano de faculdade quando todo mundo é super amigo! Conheci a família Imbelloni, a Luciana de Franco (que acaba de se tornar a primeira brasileira a mandar um 10b e que é a humildade e a simpatia em forma de gente). Conheci o Maneira de Araxá. A Vevê eu já conhecia, o Raul e o Cleber chegaram depois. Até o féla do Felipe colou na goma com sua familia do barulho aprontando altas confusões (E Não levou nem a sapatilha – imperdoável). Apareceram também o casal Guibia da Quero Escalar/ Sanca Pression Team! Incrivelmente chegou também diretamente da China o Daniel Hirata, (mandei mensagem pra ele qdo eu ainda tava em São Tomé pelo celular) e pudemos reconectar a boa vibe novamente, eita minino bão sô, diretamente de minas pro mundo trazendo na mala bastante saudade e duas toneladas de chá! E também uma Eslovena, a Ursa (se lê Ursha), a qual tinha conhecido em Cuenca na Espanha 1 ano e meio atrás. A galera ia chegando, ia vazando, e a gente foi perseverando. Quando vimos nem sabíamos quanto tempo fazia que estávamos ali, e a contar pelos dias de climb – descanso – climb – descanso – climb tinhamos ficado 3 dias a mais que o plano inicial. Mas também, não fosse isso não teria mandado meu projetinho da viagem!

Greg na Melzinho

Greg na Melzinho

Na verdade o projeto era desconectar do mundo, passar um reveion  diferente fazendo o que eu mais gosto na vida que é (interagindo com gente que pensa como eu) escalar e aproveitar para apresentar o pico pro Cleber e Fagreg que estão começando no mundo da escalada. O Greg(són) mandou a FlashBlack a vista! A Fabi mandou a Popopó equipando à vista também! E o nosso rádio Cléber dormiu na cachoeira e teve uma insolação – Burrrooooo! kkkkkk mandou a Diversão garantida no segundo pega: Ahhhh muleke! Escalaram muito mais que isso claro, mas foi bom ver eles entrando no espírito da coisa. Legal ver a Vevê entrando guiando nas vias. A Rê mandando seu primeiro 7a com a Rei do Torresmo. A Vanessa mandando um 7a/b na lapinha no segundo pega! A Mel dando duplo mortal de cuestas la no pedrão hahaha Pra quem tava parada ta muito bem no climb também! E até o Lex entrou num 8b de top achando que era 7b e foi até a quinta costura! O Raul foi pra dar uma escaladinha de leve e conseguiu… conseguiu matar 2 garrafas de cachaça e dar trabalho – pra variar –  e deixar a todos espantados com seus papos de sexo e cagadas… principalmente quando era ao mesmo tempo hahahaha A Jú conseguiu reunir todo mundo, igual a galinha mãe que abraça todos os pintinhos embaixo da asa. Equipando as vias e “spraying beta” pelos 4 cantos do Cipó. “Serviço de Beta Gratuito 0800-JuliaMara. Seg da cadena firmeza. Escovamos as agarras de seu projeto e damos a vibe-mor!” E eu? Bem, eu fui lá descompromissado, sem ter escalado quase nada em 2013 inteiro, mandando nem 7a praticamente. Fui com a intenção de poder presenciar tudo isso que narrei. De interagir com essa galera massa que ta nessa pegada da hora de curtir o climb. Essa galera sem nóia de grau, mas que também quer evoluir e mandar seus projetos. E acabei voltando pra casa com duas cadenas inesperadíssimas, mas que me custaram alguns intentos.

Mel na Mister X

Melzinha na Mister X olhando a Fabi na Melzinho (puts Mel, não tinha como não fazer esse trocadilho!)

Dois métodos de treino. Lembrava da Academia Vida e dos treinos funcionais do Juliano quando fazia os movimentos das vias e me sentia leve. Lembrava da Equilíbrio Corporal e dos treinos de Pilates com a Sí quando blocava no core nos moves nos negativos pra dar aquela chamada com o corpo colado na rocha e pés longe ou botar pé na mão. 2 meses de treino, ta bão né? Comecei a entrar na Ética por causa da Chuva. Estávamos ali, chovia muito no fim do ano, então tínhamos que acordar cedo tipo 6 da manhã pro Cagão do Greg poder fazer o seu ritual matinal de 1h cagando – em 10 dias foram lidos 2 enciclopédias Barsa, O Senhor dos Anéis (os 3 volumes), o Hobbit, o sumarilion, e o catálogo da revista hermes. Tudo isso somente enquanto ele fazia seu “muñequito” de barro matinal. Chegando na rocha umas 10 da manhã, dava pra escalar uma coisinha ou outra e logo tinhamos que correr pra sala pq chovia as 2 e as 5. Benzadeus que a Júlia escovou as agarras da ética, pq tava foda! E aí foi só tirar a senha ao longo de vários dias. No terceiro pega eu errei um monte de coisa, gastei pra caramba e ainda assim caí indo pra última agarra. E aí no próximo dia (2 dias depois pq fomos pra Lapinha e teve um de descanso) saiu de primeira. A Mônica, namorada do Doc tinha acabado de descer da via e perguntou: Vai mandar? E eu, na maior naturalidade: Vou sim. (pensando, vou… vou mandar uma fiasqueira que vou ter que sair da sala de justiça pela porta dos fundos hehehe) Mas aí rolou! um 7c no meio da viagem eu nem esperava! Só que aí eu me apaixonei perdidamente…

Fabi na Popopó

Fabi na Popopó

Lembro da primeira vez que a vi. Ali. Despretensiosa. Dando mole. Olhando pra mim. Toda de branco. Alguém estava tentando levar ela pra casa. Mas naquele momento eu senti que eu poderia ter sorte nesse jogo. Era do jeito que eu gosto, “Totally my style”. O nome dela é Cheetara. Vi a via equipada ali no setor da escamoso com uns costurões de 80cm nas 4 primeiras. Um negativão que parecia ter agarras. Ah.. ja tinha mandado muito mais que o que eu poderia esperar da viagem, porquê não entrar “For fun”? E aí fodeu. Me apaixonei pela via. Não conseguia pensar em outra coisa. Fui pra casa pensando nos movimentos e nos dias seguintes dei mais pegas despretensiosos e cada vez via a remota possibilidade se aproximar. Eu nem imaginava que poderia conseguir. Mas sabia que tudo é treino, e que o “jogo da conquista” muitas vezes é mais legal que a conquista em si. Quando eu consegui mandar com apenas uma queda, e ainda por cima num sol de lascar, percebi que algo poderia sair daquela brincadeira. Mas precisaria descansar um dia, o que implicaria em estender a trip. Implicaria descansar no teoricamente último dia, e entrar nela na segunda feira. Mexemos uns pauzinhos e fiz acontecer de ficarmos mais 3 dias. No domingo fiquei de Chico-GriGri só dando seg, desci a trilha do G3 pro mandalla correndo. Comemos pizza e a Vanessa pagou a cerveja que ela tava devendo pelas cadenas na Lapinha e no G3. Na segunda feira foram embora a Vanessa, a Ju e o Cléber e ficamos Fagreg, Raul e Daniel (a Ursa tirou dia de descanso). Aqueci na Via nova do Antonio Paulo Faria, a BR-040 que fica do lado esquerdo (Ou EM CIMA, mais precisamente) da Diversão garantida, talvez seja um sextinho interessante. E não esperei muito pois apesar de chegarmos cedo no setor, o sol em menos de 1h estaria FRITAAAANDO na via. Pedi pro Raul alongar estrategicamente 2 costuras pra mim quando ele fez a Popopó. Entrei enquanto havia sombra. Descansei nos descansos. Usei o Beta da Ursa, da Júlia e do Daniel (que eu não tinha usado nos outros tentos). Executei a sequência com maestria sem errar. A sequência está na cabeça até agora. Uma via linda! Gostosa, benevolente, bem equipada, longa, negativa, com apenas um reglete opcional. Nossa, nem acreditei que saiu! Foda foi controlar a cabeça no descanso depois de mandar o crux. “Será que vou mandar mesmo?” Será que vou cair no próximo movimento?” “Se eu cair costurando a base, terá sido Cadena técnica?” Mas aí você entra num estado de concentração meditativo tão intenso que sua cabeça se limpa dos pensamentos e só o movimento que você está fazendo naquele momento passa a existir no universo. É um momento mágico que poderia durar pra sempre. Que é o que buscamos quando estamos escalando. É a meditação em movimento.

Depois disso ainda dei dois pegas na Especialidade da casa mas aí já não tinha braço pra nada. E no último dia entrei a vista na virgulino, no setor cangaço, mas tomei um espanco daquele cruxzinho lazarento, até que eu descobri como faz. O Efetivo estava cada vez menor, e o Raul também tinha vazado, tendo ficado apenas Fagreg, Ursa e Daniel. Eles ficaram malhando a O Cravo e a Rosa e a Virgulino enquanto eu fui dar uma seg pra Ursa (se lê URSHA) na Ética, também porque tínhamos que desequipar pois estava com as costuras da Ju. Voltamos no cangaço e mandei (já no doping na base do ibuprofeno) a Virgulino. O betinha do crux faz ela virar praticamente um 7a pra quem é alto! E no fim do dia apresentei o grupo Foda pra turminha e fizemos a Pra elas, Voce decide (o sextinho do lado esquerdo da pra elas né?) e mandei equipando a qual é a nota, que pra mim é a Ninhos versão 7b. Ah! Detalhe para o ataque das aranhas gigantes que a fabi sofreu na segunda! Uma caranguejeira daquelas bundudonas do tamanho da minha mão pulou de uma agarra da Diversão Garantida na Fabi!!!!!! A fabi gritou Pro Raul que tava na Seg: “Ahhhh Raul, uma aranha! Desce!” O raul ficou tipo o Chaves quando tem um piripaque e não desceu a menina. (Detalhe, eu vendo tudo de camarote ao lado). Aí a Aranha PU-LOU na Fabi ARACNOFOBIA STYLE!! Se fosse o Raul no lugar dela tinha tido no mínimo uma Síncope, mas mais provável um ataque cardíaco fulminante seguido de evacuação completa e imediata dos intestinos grosso e delgado. Mas a Fabi em seu lugar só deu um Matrix na Aranha, que caiu direto no chão. Vc bota uma fé? Depois descobrimos que a aranha fugia de uma vespa do tamanho de um pardal que põe seus ovos na aranha ainda viva, tipo Alien, o 8º passageiro. Esse dia ainda vimos lacraias, besouros, sapos gigantes e escorpiões. Segundo o Raul, tinha um Nazgul por perto, certeza.

Aranhas "RIGANTES" né Raul?

Aranhas “RIGANTES” né Raul?

No meio desses relatos todos teve um reveion, muita comida, “biritis”, confraternização no Mandalla, música, piadas, gargalhadas e mais gargalhadas. Mas também prefiro nem detalhar muito, prefiro lembrar do que eu senti, não do que eu escrevi. Vocês idem.

Que mais eu podia pedir? Que 2014 continue assim? Ta bom né?

Valeu demais galera, só tenho a agradecer a vibe, o final de ano maraviwonderful, incredilivable, alucinante! Estão todos no meu coração! Qual a próxima trip?

Bjos e até a próxima!

Aberta a temporada de escalada na Invernada

A foto decorativa de hj é pra compensar a maudade que faço com a Sasha no final do post hehe

A foto decorativa de hj é pra compensar a maudade que faço com a Sasha no final do post hehe

Chegou fim de semana todos querem diversão
Só alegria nós estamos no verão, até Janeiro
São Carlos, Invernada
Todo mundo a vontade calor, muita chuva
Eu quero aproveitar o finde
Encontrar os camaradas para aquele Climbe
Não pega nada
Estou a meia hora da minha quebrada
Logo mais, quer ver todos guiar

Pois é, vem chegando o verão… E com ele as chuvas. E com elas, a temporada de escalada na Invernada! Chega a hora de aquecer na Caixa de fósforo, equipar a Barranco noveá pra galera, reclamar das abelhas e ficar especulando que o caixo ta menor, que elas tao diminuindo e torcer pra elas vazarem… Todo ano é igual hehehe Aí a gente entra na Colômbia, emenda na Narcotráfico, depois equipa a Sexo, Sangue, Suor, Lágrimas e Gritaria. E fazemos aquela rodinha em volta do Beto para tentar em vão convencê-lo a chapeletarmos a Fenda de Éris pra termos mais uma via pra escalar, aquela fenda podre e farelenta que ele insiste em não conquistar, e que após 14m de fenda a via toca mais 16m até a base sem proteção nenhuma, igual Hard Grit, só que com uma fenda podre e farelenta no começo, e que ninguém (nem ele) entra. E aí ficamos sendo observados pelos tiozinhos já mais que alegres que foram almoçar no restaurante, dizendo que quando era novo (e com 50kg a menos) subia aqueles morro tudo lá, e sem corda!  As madame segurando seus filhos pelo braço como se a criança tivesse saído da cadeira de rodas pela primeira vez, e as meninas olham as escaladoras como se elas fossem de uma outra raça, e nós ficamos nos sentindo num zoológico, observados. E claro, como não poderia deixar de ser, sempre tem aquele esperto grande e profundo conhecedor da causa, que lá de longe já vem bradando com o peito cheio: Ó OS CARA FAZENDO RAPEL! Aí é a hora de respirar fundo e entoar um mantra: São Gulich, perdoa-os, pois eles não sabem o que dizem…

E é isso aí, fim de semana dependendo de como estiver o tempo estaremos lá. Temos projetos de cadenas, projeto de abertura de vias, de plaquinha pra por no pico pedindo encarecidamente que não escrevam a porra do nome na rocha, e uma recompensa pra quem quiser ir lá tirar os caixos de abelhas, que deve ter uns 2mx1mx0,5m de tamanho cada um. Alguém se habilita?

Esse mês eu melhorei a parada da Peru Express, que é a única via de quinto grau do pico (depois só a barranco que é 6sup mas é em móvel). Eu faria mais melhorias mas o Beto não deixa, então por enquanto vamos lutando pra deixar o pico Classe A 🙂

Adicionei uma chapa com corrente e mosquetão, já que a da direita estava girando em falso (mas nao sai!)

Adicionei uma chapa com corrente e mosquetão, já que a da direita estava girando em falso (mas nao sai!)

E no último finde entramos na Sexo e na segunda parte da Barranco, que são minhas vias preferidas no pico! Tem algumas fotos da Isa na Sexo, Sangue Suor Lágrimas e Gritaria, e deixo junto com os vídeos, um da segunda parte da Barranco, por este que vos fala. Aliás, vou aproveitar e colocar um também da Narcotráfico, já que o assunto é invernada.

Segunda parte da Barranco noveá, um 7b/c lindo, negativo de agarrão 🙂

E um dos meus vídeos preferidos: a Narcotráfico:

Tá, e já que eu comecei, vídeos!

Começando com um que me decepcionou muito. Todo mundo ficou Ó! Que legal! Que maravilha, mas tipo, só mostrou a galera gringa escalando no Brasil, e passou a impressão que a escalada aqui é no meio das bromélias e dos gravatás. E todo mundo sabe que A Daila, a Colete e a Samanta foram pro Cipó e escalaram num dos melhores lugares do Brasil, e isso nem aparece no vídeo! Que triste! :/ Deu uma leve impressão que elas tavam fazendo caridade levando a yoga pra quem nunca teve oportunidade de conhecer.. Eu sei que não foi isso, mas o vídeo passa essa impressão! Bom, mas vou parar por aqui pq tbm não quero fazer um review oficial de um vídeo de 5minutos hehehe

E essa semana tivemos a quarta mulher a mandar um 9a Fr (11c BR). Sim! Antes de Muriel Sarkany apenas Josune Bereziartu, Alizee Dufraisse e a polemica Charlotte Duriff. Sasha não conta pq a via dela (Pure imagination) foi rebaixada pra 8c+ quando foi mandada a vista pelo Adam Ondra. A Muriel foi tipo 5x campeã do mundo na década de 2000 e agora na flor da idade, está em sua melhor fase! Confiram esse vídeo dela malhando OUTRA via, deve ser tipo um 11b ou 11a.. ta bom né?! hehehe

E já que é só de mulherada que eu posto vídeo, que tal um 10b de praticamente 20m de teto nos EUA? Via pra Fabi malhar, a menina sem peso com resistencia infinita né?

Ta, mas vamos androgenizar um pouco, com duas vias fortes no Brasil, por escaladores Brasileiros. Primeiro a Evolução das Espécies na Falésia dos Olhos em São Bento. (É, eu chamo lá de São Bento mesmo hahaha).

E o Segundo o FA da via Kriptonita por um dos escaladores mais fortes que temos, Jean Ouriques. Detalhe para a música, que tava demorando muito pra sair em algum vídeo de escalada. Acho que tava todo mundo com medo do Clichê de que todo mundo ia usar pq era muito óbvio que se a Petzl lançasse uma trilha sonora ia ser viral, mas nao foi o que aconteceu, e ficou muito legal no vídeo! E uma outra coisa a se notar: PORQUE é tão importante colocar as costuras para o lado certo na chapa e em relação ao lado para onde se vai escalar. No último minuto do vídeo, a ultima costura da via “desclipa” o sling do mosquetão reto (Vacou a costura!).  Fica a dica 🙂

E é isso! Deu por hoje, vou bolar uma charada bem dificil pq o Zé já ta me zuando que as que eu coloco ele acha mto fácil (mas ninguem mais acerta) hehehe

Fazendo jus ao nome do Blog

Primeiro dia passeando pela Pedriza. Isso sim pra mim é boulder...

Primeiro dia passeando pela Pedriza. Isso sim pra mim é boulder…

Pois é! Este que vos fala mais uma vez se vai e logo se volta. E não paro, o que é ótimo! Finalmente algumas coisas que eu tinha como meta fazia meses, pra não dizer anos, se desenrolaram, e agora estou super otimista de que tudo vai dar certo (Como sempre!). Eu sei que todo mundo está ansioso pra saber da viagem do Cipó, estava enrolando pq não tinha pego as fotos com a Isa ainda, mas também tive menos de 30horas para arrumar as malas e preparar o terreno para a viagem pra espanha. O Sebá é que está certo! Diz ele que não gosta de ter muito tempo pra fazer as coisas, que é melhor deixar pra ultima hora que você acaba fazendo tudo muito mais eficiente. E é a mais pura verdade. Veja a vida por exemplo. Depois que eu tive um “estalo” e saí da Matrix, parece que tem tanta coisa que eu quero fazer na minha vida que não vai dar tempo de fazer metade!! Essa correria toda também é motivo dos posts rareados, além é claro do meu superpopular post no blog do cume sobre “Ser melhor em vez de ficar mais forte”. Semana passada até cheguei a escrever um post imenso, tipo 3 paginas de word, só sobre filosofia de buteco, relacionamento, comportamento, atitude e a origem do universo. No fim das contas senti que era muita viagem pra pouco foco e acabei deixando de publicar (mas ta ali nos rascunhos, um dia quem sabe!).

Bem, enquanto estava no saguão do aeroporto esperando dar a hora do embarque, e depois de ter trabalhado um pouquinho, escrevi um pouco da viagem do cipó mesmo sem fotos significativas.

Júlia na Lamúrias no primeiro dia, aquecendo/aclimatando

Júlia na Lamúrias no primeiro dia, aquecendo/aclimatando

O Pico está DE-MA-IS. Claro. Arcos é tudibão, e tem potencial, mas o cipó está no epicentro das grampeações e cada vez que eu vou lá, não só o número de vias mas também de setores que duplica ou triplica. Quem diria, me senti quase em Arcos hahaha Você vai passando num setor completamente novo que vc nao fazia idéia que existia, com paredes de 30m cheio de agarras (veja que eu disse agarras, pq os agarrões estão em Arcos). Conheci o Vale Zen… Da última vez tinha sido o da perseguida a novidade (e antes o foda, e antes o cangaço), mas agora tem o coliseu, república dos chilenos, PCC, Vale zen, casinha amarela e G1 (bico do papagaio?). E parece que tem muito mais por ser aberto, Enquanto os generais de 10 estrelas ficam atrás da mesa com o c* na mão deliberando que não se deve mais abrir vias no cipó, as vias antigas, clássicas e já meio alisadas de tanto abuso, vão sendo aliviadas pelos pioneiros locais como Barão, Fei, Waguininho, Magrão entre outros, que dão o gás pro pico continuar 1000 estrelas e dar conta de suportar a tendência internacional de escaladores (e vias) que só aumenta. E cada vez mais rocha aparece, e mais um setor, um vale, uma gruta surge e a gente fica de boca aberta de novo com o potencial e qualidade das vias. Daqui a pouco a gente vai ta indo pro G3 pela zuma pois cada vez os setores estão ficando mais perto entre si, e a sala de justiça desafogada. Mas também grandes poderes vem acompanhados de grandes responsabilidades. No mundo inteiro e aqui não seria diferente. Com o aumento do número de escaladores também aumenta o número deles que não fazem nem idéia o que estão fazendo e não é dificil encontrar gente entrando guiando um oitavo grau sem ter nunca nem ter guiado na academia ou “malemá” sabendo fazer seu próprio nó. E o pior é que as pessoas batem no peito orgulhosas que não tem instrução especializada (como se isso fosse bom) e mau sabem a vergonha alheia que estão passando. Se até a gente acostumados ao partner check nos pegamos encordados só na perneira da cadeirinha, e sabemos que “não pode”, imagina quem não faz idéia e não checa? Bom, nos resta espalhar a palavra com responsabilidade e bancar os chatos que saem corrigindo a galera no pico (É mto mais fácil que carregar o malaco com a perna quebrada ou na maca trilha abaixo, garanto).

Isa, Genja, Beto, Julia e Seba - Os integrantes do SCPT nessa Trip

Isa, Genja, Beto, Julia e Seba – Os integrantes do SCPT nessa Trip

Para a viagem fomos A Júlia, o Sebá, nosso amigo italiano máquina que esta ficando 2meses em São Carlos, Isabeto e eu. No primeiro dia escalamos no Vale Zen depois de aquecer nas clássicas (Lamúrias, injustiça…). O Beto apresentou o 9c (8aFr) mais famoso do Brasil pro Sebá, a Heróis da Resistência, enquanto eu buscava os locais para mais informações sobre os novos setores. Já no Zen, Fiz a via “Gigante pela própria Natureza”. Maravilhosa, 7a de 35m medida na tinta do meio da corda! Como eu Não estou escalando nada me coloquei pequenos desafios e mandar essa via a vista equipando foi muito bom de ter conseguido! Todo mundo curtiu e meio que passou aquele veneninho no mesmo lugar X da via que eu não vou dizer onde é hehehe. Ainda no final do dia a Isa e eu entramos na via que supostamente é a Estriquinada, via que a Rafa abriu, um quintinho muito bem equipado, curtinho, ideal pra quem está começando a guiar. Só de curiosos ela e eu entramos na via do arco, bem na entrada do vale zen, mas por precaução com relação ao meu dedo (e por incompetência) fui só até a metade. No segundo dia fomos pro Vale da Perseguida, onde pude aquecer equipando a “Vai Mané” 7b, e mandar no segundo pega. Enquanto a Isa e a Jú entravam na Chorrera Musical. Depois ainda fiquei azedo pois entrei numa via sem saber que tinha regletes, e meu dedo ainda não estar 100%. Acho que o nome da lazarenta era “Por entre as pernas da perseguida” 7c/8a (mas é  uma via mto massa e quero entrar de novo qdo tiver bão). Nessa hora chegou o Rio de Janeiro Aderencion team liderados pela Naná, contando com Rogério, Rô e o famigerado Preza, que era figurinha carimbada nos picos mas que eu ainda não conhecia. FIgura! No final do dia ainda ganhei um presentão da Júlia tendo mandado no flash a Olho do Observador, láa no outro setor, o já tradicional Anfiteatro, na verdade pelos nomes das vias acho que é na caverna do dragão hehehe. Não tinha adesivo na via, então fui pro “descanso” na esquerda, o que me fez sugerir 7a pra via, mas deu uma vontadezinha de tentar o 7c reto. Via animal! Recomendo!

Preza, eu, Sebá, Naná, Rô, na frente: ROgério, Beto, Julia e Isa

Preza, eu, Sebá, Naná, Rô, na frente: ROgério, Beto, Julia e Isa

No terceiro dia voltei pro Zen com a Júlia e a Isa por causa do beta do Preza, de um 6° (Avenida Brasil) e um 7b (FlashBlack). O Riodejanereiton Aderetion Team foi pro Antão pra poder ficar mais perto do Aeroporto e pro Preza que está no Lesionados pression team assim como eu poder escalar alguma coisa. Voltando ao caso do Zen, como o Daniel de Joinville estava na Avenida Brasil (teoricamente um sexto), entrei no 7a e mandei meio a vista (meio a vista pq quem tava no chão cantou a agarra do outro lado da aresta – sorry Gui pelo spoiler, fica de troco pelo beta da chapa na direita da canaleta da gigante hahaha). Mais uma clássica do pico das que vale a pena fazer sempre que se vai pro Cipó, junto com a Gigante, a Lamúrias, a Tatara, a Cravo e a Rosa, enfim… Entrei no sexto e passei um sufoco!! PQP! Muito mais foda, com uns abaolados de ombro e em vários momentos eu me vi VOoaaandoooo só não voei pq a cabeça tava boa e apertei mesmo me vendo voando e não ficando nos abaolados, ia pros moves com dedicação e acabei mandando com a vibe da Jú e da Isa. Foi naquele esquema: “…só mais uma agarra vai, não to tão tijolado assim, além do mais se eu cair ótimo que assim já não fico mais com tanto medinho”. E funcionou hehehe. Mais tarde mandei um 7a no strictu sensu da palavra, sem saber nada. o Fei apareceu pouco antes e falou que tinha essa via nova que o Vaguininho tinha aberto, “Avenida das torres” ou algo assim. Láaaaa por entre a 8° e 9° chapa tive que abusar de minha altura, fazer entalamentos de joelho, asa de galinha, passei um sufoco, quase perdi a cadena pois fui muito pra direita, tomei marimbondada na cara (sim, marimbondada, eles trombaram comigo mas nao picaram)… mas no final deu tudo certo e acabei mandando! Ufa! Eu pensava: Tenho que mandar pra nao ter que passar por isso de novo hehehe Depois a Julia entrou e achou um monte de agarra que eu não vi. Provavelmente quando a via estiver mais limpinha vai ficar mais sussa (mas é da hora!).

Puts… e no ultimo dia… mano… Último dia fomos num lugar Magnifíc! O Magrão passou todos os betas de como chegar, fez um mapinha ishperrrto de um setor novo que tinham acabado de abrir algumas vias (tinha pó dos furos na parede ainda). São aqueles bicos que dá pra ver ali do abrigo do magrão, no G1 ainda.. à esquerda da “assombrolhos bicolhos”. Tipo meia hora de caminhada, passa por um vale muuuito lindo, cheio de umas flores vermelhas grandes, um microclima umido e frio, no meio do “agreste seco” pelo qual passamos antes pra chegar la. Passamos por dentro de uma Cave cheia de espeleotemas muito bonita, e depois demos a volta pra acessar o platô onde começam as vias. Fiz um 7c do magrão chamado “Vô coruja” A-NI-MAL. via também de 35m ou mais, com começo de 6°grau, depois um negativo de agarrões, e depois um lance vertical meio “tricky” e no final pra variar, canaleta. Fui só até o lance vertical e desci pois dali pra cima não estava equipada e eu não tinha levado costuras (e fiquei com uma puta preguiça tbm, último dia de climb sabe como é né?). Enquanto eu entrava nessa com a Isa, o Sebá, nosso Italian very relaxed man entrava com o beto na do lado, que é um 7a até a metade e depois vira um 9c. Eu já estava na capa da gaita mas ainda dei um peguinha sem compromisso na parte de 7a do 9c. E aí fomos pra casa, comemos o resto da lentilha que a Ju tinha feito pra 18 pessoas na noite anterior (mas eramos em 5), e vortemos. Na volta ainda pegamos um congestionamento de 1h em Rio Claro onde ficavamos nos estapeando Julia e eu para ficarmos acordados.

Beto, na Tecnicamente apelidada de "Falsa Lamúrias" no G1

Beto, na Tecnicamente apelidada de “Falsa Lamúrias” no G1

Bom feriado a todos!

Boas escaladas no feriado pra nós!!

Boas escaladas no feriado pra nós!!

Pois é, esse ano tem poucos feriados, e os poucos que tem cai no domingo!! Por sorte teremos este na terça então os paulishtashxxx invadirão terras mineiras para a anual peregrinação até a meca da escalada, o cipó. Outros por sua vez irão para o Rio dar um relax, passar nervoso na grande urbe (principalmente pra quem vem de uma cidade de 200mil habitantes e que vai de bicicleta pra todo lado) e nos esticões das aderências sem agarras da babilônia e da urca. Quem sabe algo mais desafiador? Hmm.. veremos 🙂

Pra quem é casado ou namora e obviamente não vai viajar no feriado, deixo aqui um comentário meu que fez o maior sucesso essa semana no face:

“…Sou super a favor do casamento gay. Eu sou é contra o casamento hetero, isso sim! Quantos amigos da escalada eu perdi por conta disso! Enquanto isso os viados dos meus amigos continuam todos escalando!…”

E vamos de vídeos pq eu tenho mais de 100 aqui acumulando!

Esse é pra quem tiver passando calor aí suar a mão… e quem tiver sofrendo no inverno saber que não está só! A via Speed, na Áustria, ou Suíça, um daqueles 11c’s que são tipo 30m de palitos de fósforos….

Pra vc que tem medinho de viver Guiar e de se aventurar sempre um pouco mais… fica a lição da Steph Davis sobre MEDO

Já que o assunto é vídeo-aula de autoajuda escalada, segue o ex mino da mina sobre o FOCO na escalada:

E se vc acha que isso é bobeira, veja o que logrou a escaladora com seu ímpeto e audácia…

E chega de lições e vamos ver um pouco de climb… Vídeo do Petzl ROctrip só que da North Face. É mais em formato de festival, todo mundo escala, tem pontuação, legal!!

E pra alguns que estão cansados dos mesmos picos… que tal variar um pouco? Diz que o pico agora tem setores na sombra e os escaladores locais não cobram mais pra vc escalar as vias deles! Como vc’s, Bocaina!

Paramos um pouco de postar vídeos de escalada pq agora eu vou postar um de boulder!! Na Pedriza, em Madrid… AProveitem pois estão regulamentando tudo por lá, e tão desequipando muitas vias, parece que tá uma zona de guerra o pico! Mas pros boulderistas tanto faz né, eles não clipam nada mesmo! hahaha

E agora um vídeo que fez meu mundo desabar. O grande mestre das escaladas em solo das grandes paredes… fazendo uma via de uma enfiada…. e SE FUDENDOOO PRA CLIPAR A PRIMEIRA COM CLIPSTICK!!!? Como assim José?! Até Tú HONNOLD Golias? Mas é um fanfarrão mesmo!

E falando em fanfarrão, e já que já foi um de boulder… vai outro: esse cara tentou fazer um vídeo diferente em Fountainebleau… terá ele conseguido ou terá sido mais um momento “Errou feio, errou rude”?

Tá, e pra acabar, como agora a moda é levar a meninona e a pitoca pra escalar, fica a dica!

Capacete sempre!

Capacete sempre!

Isso aí Galera, bom feriado a todos e Bora pra pedra escalar!!

AH! E pra quem Não for escalar e for pra Ubatuba só fazer Boulder, boas apertadas também!